Share Button

O visual demonstrado pelo motor gráfico Frostbite 2 na versão PC de “Battlefield 3” pode ser considerado, segundo os produtores, uma amostra do que a nova geração oferecerá.

Em entrevista ao site Gamasutra, o ex-produtor da DICE e atual diretor executivo de marcas da EA, Patrick Soderlund, afirma que o propulsor – que também será usado no novo“Medal of Honor” -, possui uma tecnologia ainda além do que os consumidores viram até agora.

“Sim, serei honesto com você. Frostbite 2 foi construído para a próxima geração. Foi assim que começou”, admitiu.

“Nós tivemos isso em mente e dissemos: ‘Vamos ter que construir algo adaptável. Isso não significa que o que você vê em ‘Battlefield 3’ é o seu estado final. Mas temos uma base de tecnologia que nos deixa muito confiantes para o que vai vir no futuro”, afirmou.

A guerra nunca acaba

Baseada em roteiros escritos pelos operativos do Tier 1, a campanha de “Medal of Honor: Warfighter” traz uma visão mais próxima da vida de um soldado de elite. No jogo você controla Preacher – o atirador de elite do último “Medal of Honor” -, um membro do Tier 1 que vê sua família dividida após os anos em que esteve no campo de batalha.

Além do drama doméstico, Preacher e o Team Six (grupo de operativos do Tier 1 retratado em “Medal of Honor”) voltam para a linha de frente com o surgimento de uma nova ameaça terrorista.

Utilizando o poderoso motor Frostbite 2, o jogo promete cenários realistas e gráficos impressionantes, mas não espere pela ação exagerada ao estilo dos filmes de Michael Bay ou do recente “Call of Duty: Modern Warfare 3”.

Com versões para PC, PlayStation 3 e Xbox 360, “Medal of Honor: Warfighter” está agendado para 23 de outubro.