Share Button

Durante uma coletiva de imprensa (via ScreenRant), o ator Chris Pine, responsável por ser o par romântico da Mulher-Maravilha, criticou o vindouro filme da Marvel, “Vingadores: Guerra Infinita”.

Ele começou elogiando a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins: “Patty foi uma ótima razão pela qual eu quis estar envolvido. Eu a conheci, não tinha nem lido ainda – aliás, nem tinha roteiro. Então ela me contou o que queria fazer: a história, meu personagem, e a personagem de Gal“, iniciou o ator.

Dentro desse gênero é difícil fazer algo novo, e geralmente você só vê um grupo de pessoas se matando – usando trajes e explodindo cidades. Tipo, eu sei que tem algo chamado ‘Guerra Infinita’. Sério? Guerra Infinita? Precisamos de mais guerras o tempo todo?“, criticou.

Ironicamente, grande parte de “Mulher-Maravilha” é ambientado durante a Primeira Guerra Mundial – vai ver que ele esqueceu desse detalhe quando deu a entrevista. Ou ainda, que o vindouro “Liga da Justiça” possui uma trama bem parecida com o do filme da Marvel. Aliás, é difícil pensar em um filme de super-herói sem “guerras”, e nesse ponto até que ele tem razão, não é mesmo?

Mas o que ele acha de Mulher-Maravilha então?

Então, no coração deste filme há uma mulher que é tudo sobre amor e compaixão, e o amor supera tudo. Quão grande é isso? Essa é uma coisa bonita, louca, incrível“.

Veja o que achamos de “Mulher-Maravilha” em nossa crítica.

Abaixo você confere a entrevista de Chris Pine: