Share Button

O roteirista de HQs Greg Rucka, que atualmente cuida da revista da Mulher-Maravilha da DC Comic, afirmou em recente entrevista ao site Comicosity, que é “óbvio” que ela já se apaixonou por outras mulheres quando vivia na ilha ficcional de Themyscira – lugar onde nasceu e é habitado apenas por amazonas.

Quando você começa a pensar sobre o conceito de Themyscira, a pergunta é: ‘Como elas não poderiam estar em relacionamentos homoafetivos?’ Isso faz todo o sentido“, afirmou o roteirista, que não tem nenhum envolvimento no filme solo da heroína.

Por muito tempo, as pessoas apontaram para as amazonas e declararam que elas são gays, mas eu acho que é mais fundo que isso. Themyscira supostamente é um lugar como o Paraíso, certo? Onde essas mulheres podem ser felizes e prosperar, e parte disso é ter alguém como parceiro romântico. Na ilha, a única opção são mulheres”, contou Rucka.

Uma amazona não olha para a outra e pensa: ‘Você é homossexual.’ Elas não faziam isso, pois o conceito de homossexualidade não existia para elas. Estamos dizendo que Diana [Prince] se apaixonou e se relacionou com outras mulheres? A resposta é, obviamente, sim“, disse Rucka.

O filme da Mulher-Maravilha traz Gal Gadot no papel principal e Chris Pine (Star Trek) como Steve Trevor, provável interesse amoroso da heroína (ao menos nos quadrinhos ele é). O filme chega aos cinemas dia 23 de junho de 2017.