Share Button

Passou a Comic-Con 2015 e circularam na internet vídeos oficiais (e não oficiais) de diversos filmes que prometem bombar nos próximos anos. A Comic-Con é uma espécie de E3, mas com mais enfoque em cultura pop e quadrinhos, mas com uma diferença: painéis com bastante tempo e produtores/atores dando conferências e respondendo perguntas, como se fosse uma conversa informal. E para quem esteve nos painéis, é estar perto de seus ídolos, algo difícil de ter hoje em dia por razões óbvias.

Claro que como estamos na era da informação em tempo real, ainda existem sempre os “executivos jurássicos” que “proíbem filmagens” nos painéis. O exemplo mais emblemático foi o do filme baseado em Warcraft, mas antes dele chegou a ter painéis dos filmes da DC, e como de praxe, teve vazamento do filme “Esquadrão Suicida“, novo filme da Warner que será um concorrente dos Vingadores, mas tendo vilões como personagens principais, como o Coringa e a Arlequina (Harley Quinn).

Esquadrão Suicida - Harley Quinn - Margot Robbie - Foto

Com o vazamento do vídeo, isso atiçou novamente a ira de Sue Kroll, Presidente de Marketing Global e Distribuição Internacional da Warner, que pediu “mais segurança” para os organizadores não deixarem que imagens vazem pro público, e que exibições “exclusivas” vão ficar dava vez mais raras.

Mas para uma mulher que é diretora de marketing, convenhamos: isso é um tiro no próprio pé, pois estamos falando…de marketing! Divulgação, burburinho, o HYPE em sua melhor forma!

A Marvel optou por não fazer um painel na Comic-Con por não ter muito o que mostrar, e eles estavam certos. A próxima adaptação cinematográfica é o terceiro filme do Capitão América, em 2016, e como o filme do Homem-Formiga estava praticamente na porta na época (ele estreou nos últimos dias) então não faria sentido ter um painel de um filme prestes a estrear, e certamente ainda tem trabalho a fazer na adaptação do Capitão América.

Mas voltemos ao assunto do post. Com a diretora da Warner soltando xingamentos a tudo e todos, tem diversas questões a analisar, e com algumas que foram comentadas em um artigo do Polygon: a questão do próprio vazamento. No caso do Batman vs Superman, a Warner espertamente lançou o vídeo nos seus canais oficiais do Youtube, e em matéria de exibições, ter 30 milhões de visitas em poucos dias não é pra qualquer um. Tem até versão legendada oficialmente, e nesse caso não teve vazamento.

Mas no caso do Esquadrão Suicida teve vazamento, e tirando alguns poucos mimizentos, a maioria aprovou o vídeo. A Arlequina doida de pedra e atuada pela gatíssima Margot Robbie, o Jared Letto como o Coringa e bem psicótico, fora os outros personagens, mas que acabaram não ganhando tanta a atenção, como o Deadshot, que será feito pelo Willl Smith.

Esquadrão Suicida - Foto do Elenco

O vazamento ocorre pois são filmes que tem uma altíssima demanda de pessoas querendo saber como será o filme. Na Comic Con são 6 mil pessoas, e muitos deles jornalistas, que estão lá a trabalho. Mas a maioria esmagadora de pessoas é quem está de fora, quem mora fora dos EUA, amantes da cultura pop e que vão consumir este conteúdo quando ele sair. Só que as produtora ainda acham que tem de dar exclusividade, e que elas, em sua ingenuidade, vão achar que terá 6 mil pessoas honestas que não irão filmar e divulgar na internet. Mas estamos na era atual e digital, e onde os eventos ganham mais dimensão e são acompanhados por mais gente.

Peguemos as conferências da E3, o maior evento de games do mundo. As produtoras fazem as conferências e já transmitem online pra todo o mundo. Em tempo real. Não tem vazamentos aparentes, e tirando alguns poucos jogos que acabaram sendo divulgados antes da hora (como o anúncio de Dark Souls III) estamos falando de marketing. É ter o melhor trailer e impacto possível, e ver as produtoras monitorarem o burburinho dos comentários no Twitter. Os jornalistas estão nas conferências fisicamente, mas as produtoras querem atiçar o poder de compra dos jogadores. Isso é entretenimento!

Agora a gente pega conferências às portas fechadas, e isso desanima os fãs de um produto. Quando iniciou o painel do Warcraft no sábado na Comic-Con, abri uma hashtag no Twitter e fiquei monitorando à distância, pois além de fazer parte do meu trabalho (sou editor de um portal de MMO!) eu também sou jogador do World of Warcraft, e como todo mundo, estava sedento por informações. Aí o trailer nunca vinha, via alguns relatos de quem estava no evento e surgiram algumas fotos dos personagens. Tudo com baixa qualidade. Só os 2 pôsteres oficiais que estavam com boa qualidade, mas queria ver trailer! Ver vídeo! Ter mais hype pelo filme!

Warcraft - Filme - Orcs - Foto

Ainda sobre o Warcraft, alguns dias antes a Legendary lançou um aplicativo com um sobrevôo de um grifo em Ventobravo (Stormwind), onde o usuário podia rotacionar a câmera em 360 graus. Alguém pegou a aplicação e postou o vídeo no Youtube, e em poucas horas o vídeo saltou para mais de 120 mil visitas. Um vídeo em 360º deixa o fã da série entretido e assistindo o vídeo várias e várias vezes, captando as referências. Olha a Torre dos Magos ali, o porto é bem maior do que tem no jogo (percebemos que a cidade é minúscula no game!), o som do grifo impressiona, olha aquele outro grifo voando ali, vamos acompanhar até onde ele voa…Postei o vídeo no DominioMMO, pois inicialmente o vídeo seria “mais ou menos”, mas quando você tem o poder de rotacionar o vídeo, tudo muda!

Horas depois a NBC começou a bloquear o vídeo pra quem estava fora dos EUA, e aí teríamos de agir. Eu tinha baixado uma versão menor e upei pro Mega. Descobri que tinha um player de 360º e inseri as infos no vídeo. Deu pra ver que a Legendary até tentou ser boa com marketing ao lançar uma aplicação gratuita, mas quando ela iniciou toda a censura, ela passa de heroína pra vilã da história. O engraçado é que a própria Blizzard, e hoje diversas produtoras, incentivam os jogadores a compartilharem as experiências e vídeos de seus produtos quando eles entram em fase beta. É liberar o marketing de jogadores, que vão produzir conteúdo do jogo, gerando mais marketing, como acontece, por exemplo, com o PTR dos próximos conteúdos do WoW.

Só ontem que a Legendary lançou um vídeo oficial. Resultado: até o momento quase 2 milhões de visitas. Certamente teria mais se eles tivessem pensado direito antes, pois é uma ferramenta de marketing bem poderosa. Caso queira ver, recomendo usar o Google Chrome, que tem suporte a 360º no vídeo:

Mas o trailer do Warcraft estava proibido de filmar, e algumas horas depois do painel surgiram versões em péssima qualidade das filmagens. Mas o povo ficava no hype. Ficava no hype por OITO SEGUNDOS de vídeo (que foi a primeira versão vazada). Dava pra botar num gif e não ter problema de direitos autorais, até que vazou mais uma versão do vídeo, mas com uma qualidade melhor e mais tempo. Mas não com a qualidade que a gente almeja, mas uma filmagem é melhor que nada. E o vídeo chegou a passar de 1 milhão e meio de visitas. Será que a Legendary está vendo que poderia ter capitalizado numa versão oficial? Mas acho que eles optaram por deixar o vídeo exclusivo pra BlizzCon, removendo a versão vazada depois.

Vídeos vazam pois as pessoas querem ver o conteúdo. Para um vídeo não vazar, teria de jogar a versão oficial logo após o evento terminar, ou até mesmo durante o evento. Um detalhe citado pelo Polygon é que, para evitar vazamentos, teria de coletar todos os celulares e dispositivos na porta, e entregar tudo depois. Mas e se algum celular sumir? Coletar 6 mil dispositivos é uma atividade inviável, ou fazer igual numa prova de concurso público e botar os celulares num saco plástico.

Mas é aquele negócio: hoje existem dispositivos de gravação que podem acabar passando. As pessoas vão conseguir burlar isso, muitos vão gravar a exibição pra postar depois na internet. Aos olhos da produtora é alguém pirata, que vai divulgar o que não era pra ser divulgado antes. Mas se eles não querem que vazem, porquê diabos ter um painel de um filme? Pra quê deslocar 7, 8 atores, diretores e etc, pra divulgar um filme? Só ter isso pras 6 mil pessoas e ler impressões de vídeos depois em sites especializados? Isso acaba indo contra o próprio marketing de um produto, e o objetivo deles é ter hype, e apenas um texto não iria ajudar.

Hoje vazamentos é algo inevitável. Sempre vai ter, ainda mais com produtos altamente esperados pelas pessoas. Esses dias tava comentando da quantidade enorme de fotos que eram tiradas durante as gravações do Esquadrão Suicida, onde a gente poderia brincar e pegar todas as fotos e botar em ordem cronológica, não precisando mais ver o filme depois. Claro que era uma brincadeira, pois o filme final será bem melhor que um monte de fotos vazadas, mas hoje as pessoas próximas de um local de gravação externa vão tirar fotos, principalmente dos atores. E de certa forma isso ajuda no marketing de filme.

Agora se não quiser mesmo que alvo vaze, o jeito é não divulgar nada ou fazer igual a Rockstar, que praticamente anuncia um GTA próximo dele ser lançado, e deixa o desenvolvimento do próximo praticamente nas sombras e com fortíssimo esquema de segurança. Claro que no caso de um filme é mais difícil, mas deixar de usar a Comic-Con como uma ferramenta de marketing será um tiro no pé, dependendo. E na era dos filmes que custam centenas de milhões de dólares pra produzir, ir contra o próprio marketing é um tiro no pé.