Share Button

Desenvolvido pela Bloober Team, estúdio responsável por Layers of Fear, Observer é o novo título de horror psicológico da empresa. O game se passa no ano de 2084, após uma praga virtual que matou pessoas e levou a sociedade a uma guerra arrasadora. O protagonista desta aventura cyberpunk é Daniel Lazarski, um detetive que trabalha na divisão Observer, cujo diferencial é a habilidade de hackear os suspeitos tendo acesso a informações como a memória  da pessoa através de um dispositivo chamado de Dream Eater. Além disso, nosso policial possui dois tipos de visões especiais, a Eletromagnética e a Bio, que permitem escanear material eletrônico e biológico respectivamente.

Observer parece ter saído diretamente dos anos 80, buscando as referência mais importantes e marcantes do gênero cyberpunk, sendo uma representação fiel do que foi idealizado em obras clássicas do cinema e literatura. O contraste de alta tecnologia vs baixa qualidade de vida é perceptível a todo momento, graças ao trabalho de arte muito focado em detalhes e na construção de um ambiente noturno, depressivo, claustrofóbico e muitas vezes incômodo.

A história começa com um dia normal de trabalho na vida de Daniel, quando uma transmissão clandestina interrompe a comunicação com sua superior. O homem misterioso revela ser o filho do policial, que aparentemente ele não mantém contato há um bom tempo. Após o fim da transmissão de forma abrupta, Daniel vê-se no dever de localizar seu filho, mas ao chegar no apartamento onde ele se encontra, vê-se frente a um corpo decapitado. Sem saber se o cadáver é de seu filho ou não, o detetive embarca numa investigação em busca da verdade.

A arquitetura do game, é acima de tudo, criativa e com bastante personalidade. Há uma preocupação perceptível em colocar detalhes no cenário quando se é possível, bem como “poluir” a visão do jogador com efeitos luminosos e cartazes, por exemplo. As cores do jogo lembram o estilo de Resident Evil VII, bem como discreto blur que acontece na tela.

A jogabilidade baseia-se principalmente na investigação, alternando entre o escaneamento eletromagnético e biológico em busca de provas e também vasculhando memórias confusas em busca de provas para continuar o game. Os diálogos com os NPCs são feitos através das “árvores de respostas”, ou seja, sempre existirá mais de uma opção para se dizer e isso determinará (muitas vezes) o que você pode obter do personagem com quem se conversa.

A dublagem em inglês é outro ponto forte. A voz segura e calculista de Lazarski passa ao jogador a sensação de realmente estar no controle de um personagem maduro e experiente. Raramente vê-se uma voz que não se enquadrou bem ao personagem escolhido, por isso, de maneira geral ficou satisfatório. Já a trilha sonora marca sua presença com sons distorcidos e instrumentais, nada do previsível som digital e psicodélico, mas sinfonias sombrias e misteriosas como o próprio game, o que aumenta o clima de suspense e terror.

Observer resgata o clima cyberpunk oferecendo uma trama complexa de primeira. Focada na experiência e em criar um mundo alternativo com seus próprios problemas e “demônios” a serem enfrentados, o novo título da Bloober Team é atrativo para os amantes de terror, suspense e investigação.