Share Button

Já pensou ficar milionário jogando videogame e fazendo o que gosta? Ao contrário dos jogadores de futebol, basquete e outros esportes populares, isso ainda é uma realidade pouco comum, no entanto, alguns jogadores de e-sports podem se orgulhar de ter vários zeros na conta bancária que ultrapassam a faixa do milhão.

A elite das cifras no mundo dos jogos eletrônicos é protagonizada pelo jogo Dota 2, lançado em 2011. De acordo com o site E-Sports Earnings, os 32 mais bem pagos do mundo jogam esse game. São 29 que ultrapassam a quantia de US$ 1 milhão, a maioria composta por chineses.

O líder da lista é o norte-americano Saahil Arora, que joga pelo apelido de “UNiVeRsE”. Aos 27 anos, ele já disputou mais de 60 torneios e acumula a bagatela de US$ 2,7 milhões. Ainda com bom tempo de carreira pela frente, a expectativa é que Arora possa dobrar essa quantia conquistada até deixar de competir profissionalmente.

Em 2014, uma competição chamada The International impulsionou bastante o mercado financeiro dos jogos eletrônicos. No Dota 2, o time Newbee venceu a competição e levou o total de US$ 5 milhões para casa. Com a equipe de cinco, o prêmio foi dividido entre eles, o que deu US$ 1 milhão cada e colocou Jiao “Banana” Wang, Chen “Hao” Zhihao, Wang “SanSheng” Zhaohui, Zhang “Mu” Pen, e Zhang “xiao8“ Ning na lista dos mais bem pagos.

Esse mesmo mundial de 2014 que atingiu níveis históricos de premiação. O time Newbee, por exemplo, levou mais do que o campeão do Super Bowl — final da NFL, liga de futebol americano mais valiosa do mundo.

Com os patrocínios subindo cada vez mais, no mundo do Dota e de outros esportes eletrônicos os prêmios sobem a cada ano que passa. Isso acompanha a popularidade dos e-sports, que está em ascensão considerável no Brasil.

Entre os brasileiros que mais recebem para jogar videogame em alto nível, três estão entre os 100 primeiros da lista: Gabriel Toledo (FalleN, 92°), Fernando Alvarenga (fer, 94°) e Marcelo David (coldzera, 99°). Todos esses três jogadores no mesmo game, o Counter-Strike: Global Offensive.

“FalleN”, primeiro entre os brasileiros, já recebeu US$ 447 mil em premiação. Convertendo para o real, o jogador de 25 anos pode se orgulhar de se considerar um milionário com R$ 1,4 milhão de salário total.

Para se tornar um profissional no e-sports, não há uma cartilha de profissão ou área que você precisa ter experiência antes, além dos esportes eletrônicos, claros. Há jogadores que vieram do poker, por exemplo, como Johannes “JonnyStoneHS” Steindl. Outros chegam de diversas outras áreas, como matemática, futebol e até mesmo ex-professores que largam tudo para jogar videogame de maneira integral.

A popularidade dos jogos eletrônicos tem atraído grandes investidores, que enxergam nos e-sports uma oportunidade de investimento muito grande e que possa dar retorno. Com altas cifras sendo colocadas em torneios e patrocínio, de acordo com a empresa Deloitte Global a expectativa é que o mercado ultrapasse o valor de US$ 1 bilhão nos próximos anos.

O mundo competitivo dos e-sports tem apenas duas décadas de existência, e está perto de ser considerado bilionário. A curva é para cima, e as cifras acompanham o aumento de popularidade. Não se assuste se logo os jogadores mais bem pagos do mundo alcancem as maiores estrelas do futebol quando o assunto é salário e premiação.