Share Button

Quando a Sony anunciou que o PS4 Pro viria com a nova e poderosa GPU Radeon Polaris, juntamente com o ultrapassado processador AMD Jaguar do PS4, que teve apenas sua frequência aumentada de 1.6 Ghz para 2.1 Ghz, algumas pessoas sugeriram que a CPU poderia causar um gargalo no console, algo que agora pode estar comprovado.

A Digital Foundry identificou situações onde ela sugere que o processador do PS4 Pro segura a performance do jogo. Batman: Return to Arkham tem suporte nativo ao console, sem o uso de atualizações focadas em optimizações, ou seja, suas melhorias são focadas em aumentar o desempenho via força bruta, algo que você consegue através de, por exemplo, overclock na CPU.

Com isso em mente, algumas cenas nele mostram um incremento no desempenho de exatamente 6 fps, que é justamente o aumento de poder do processador, que possui 31% mais frequência do que no PS4 original, sugerindo que ele está impedindo a GPU de oferecer uma taxa de quadros por segundo maior.

return-to-arkham

O site Tweaktown acredita que a Sony pode ter escolhido manter este processador inadequado no PS4 Pro pois a AMD só lançará sua nova CPU Zen no ano que vem, a qual muito provavelmente será incluída no Xbox Scorpio. Isto significa que a Sony pode ter preferido lançar o novo console com um processador antigo para aproveitar as vendas do final deste ano, ao invés de esperar até 2017 para disponibilizá-lo com um hardware melhor.

Ainda de acordo com o site, a Sony afirmou que a razão por trás da decisão de manter o Jaguar no PS4 Pro, apenas lhe dando um overclock, era para garantir uma retrocompatibilidade sem problemas com jogos atuais do PS4.

Via Adrenaline