GamesNotícias

Phil Spencer afirma que Sony e Nintendo “não querem algo como o Game Pass”

Phil Spencer quer levar o Xbox Game Pass e o ecossistema do Xbox para mais pessoas, mas lançar um app do Xbox nas plataformas concorrentes não vai acontecer tão cedo. Ao ser perguntado pela GamesRadar se haveria um aplicativo do tipo para o Switch, Spencer disse que a Microsoft está focada em fazer o Xbox crescer na web, PC e mobile, ao invés de colocá-lo no Switch ou outra plataforma “fechada”. Ele, inclusive, apontou que “estas plataformas fechadas não querem algo com o Game Pass”.

“Sabe, é a pergunta certa porque as pessoas geralmente me perguntam sobre lançar um determinado jogo ou outro. E o que eu digo é que quero que entreguemos a experiência completa do Xbox,” disse. “Não temos planos de trazê-lo para qualquer outro tipo de plataforma fechada agora, principalmente porque essas plataformas fechadas não querem algo como o Game Pass. Há uma tonelada de plataformas abertas para crescermos: a web, o PC e mobile. Portanto, todo o nosso foco, francamente, está nessas plataformas.”

Embora um aplicativo do Xbox para PlayStation ou Switch seja algo impensável hoje, Spencer disse também esperar ver mais conectividade entre as plataformas rivais por meio do cross-play, e deseja por um fim na “guerra” de consoles.

“Para termos sucesso, não acho que outra empresa precise ficar menor. Quero que a indústria continue crescendo e acelere seu crescimento, e se você comprar um Switch e quiser jogar Minecraft, e eu aliás comprei um PlayStation para meus filhos… se eles não podem jogar juntos, isso não ajuda os jogos a crescer, na minha mente,” disse o executivo. “Essa guerra pode ajudar um dispositivo a vencer outro, mas não ajuda a indústria. Acredito que focar na alegria do jogador, facilidade de jogo e acessibilidade, no longo prazo, é a estratégia correta. E acho que a indústria vai se mover nessa direção, porque é isso que os jogadores vão exigir.”

Spencer também revelou esperar que no futuro os jogos quebrem as barreiras tradicionais para poderem serem jogados. Ter acesso a outras formas de entretenimento, como TV, livros e cinema, é mais fácil e mais barato em comparação com jogos. Com alguns deles, aliás, é geralmente mais difícil e caro para usuários iniciantes começarem a jogar, e Spencer espera mudar isso.

“Devemos todos reconhecer que nem todo mundo cresceu com um controle nas mãos,” disse. “Não invejo filmes, TV ou livros, mas acho que essas mídias têm uma acessibilidade. Isso é algo que devemos pensar como uma indústria. Digamos que eu queira jogar o próximo grande lançamento do console. Então eu tenho que comprar este console, eu tenho que conectá-lo, eu não sei como usar um controle – porque não fiz isso antes – então eu terei de praticar para aprender.”

“Pensamos muito sobre esse ponto de acessibilidade, e – não para mencionar novamente o Game Pass – mas parte disso é financeiro, você sabe. Esses jogos custam US$ 70. Isso é muito dinheiro em comparação com essas outras formas de arte das quais falamos a respeito.”

Recentemente a Microsoft fechou uma parceria com fabricantes de TVs para colocar as opções de jogo do Xbox diretamente nas TVs, em um esforço para conseguir facilitar o acesso aos jogos para usuários que não tem ou não podem comprar um videogame. A empresa também disse que irá criar seus próprios acessórios de streaming, similares ao Chromecast e Fire Stick, para que as pessoas possam plugar nas TVs e jogar.

Via GameSpot

Artigos relacionados