GamesNotícias

Phil Spencer diz que adoraria banir usuários tóxicos em todas as plataformas

Se você tem o costume de jogar online com frequência, especialmente jogos competitivos, provavelmente já se deparou em algum momento com algum usuário se comportando de forma desrespeitosa com os demais. Se dependesse do Phil Spencer, chefe do Xbox, eles seriam banidos em todas as plataformas, incluindo até mesmo nos ecossistemas da Sony e Nintendo.

“Algo que eu adoraria que pudéssemos fazer – e que é bem difícil para a indústria como um todo – é quando alguém é banido em uma de nossas redes, existe uma maneira de bani-lo em outras redes?”, disse o executivo em entrevista ao New York Times.

A ideia envolveria criação de uma lista compartilhada de usuários tóxicos entre Sony, Microsoft e Nintendo para bani-los de uma vez de todos os serviços online nas plataformas de cada empresa. O comentário de Spencer parecia ter sido inspirado pela maneira como a Activision Blizzard trata os jogadores que trapaceiam em Call of Duty, com eles sendo banidos para sempre do game.

O executivo também deixou claro que o Xbox não foi feito para ser usado para importunar outros indivíduos e que não é uma plataforma para política.

“Uma das coisas que afirmamos sobre nossa rede é que não somos uma plataforma de liberdade de expressão. Somos uma plataforma de entretenimento interativo e videogames. E não estamos lá para permitir que todos os tipos de debates sociais aconteçam em nossa plataforma. Não é por isso que existimos,” disse ele.

“Não estamos lá para permitir que qualquer conversa aconteça em nossa plataforma. É muito difícil chegar na Xbox Live e dizer: ‘Ok, quero criar um partido político na plataforma’. Você pode mexer nas ferramentas e tentar fazer isso, mas ela não é voltada para conversas ou comunidades de propósito geral,” explicou. “É realmente configurada para uma comunidade que gira em volta do entretenimento interativo e dos jogos que rodam na plataforma. E é assim que investimos”, concluiu.

Via Gamerant

Artigos relacionados