Share Button

Plants vs. Zombies

Produzido e lançado pela PopCaP, o criativo e divertido game de estratégia que mistura elementos de Tower Defense foi um grande sucesso. Nunca passou pela cabeça de ninguém que plantas seriam o inimigo perfeito para enfrentar uma epidemia zumbi, pelo menos até Plants vs. Zombies ser lançado. Após esse e outros sucessos, a PopCap foi adquirida pela gigante EA em 12 de Julho de 2011.

Premissa simples e divertida

Em Plants vs. Zombies o jogador deve plantar vários tipos de plantas – com perdão da repetição de palavras parecidas – a fim de evitar que as hordas de zumbis cheguem a sua casa e comam seu cérebro. Para tal tarefa, o jogador terá a sua disposição um grande jardim com muitos espaços para cultivar suas defesas, além de uma enorme variedade de plantas, cada qual com suas próprias características.

O jardim (fases iniciais) é dividido em faixas horizontais, que são seis ao todo e os zumbis percorrerão essas faixas do gramado para tentar chegar até sua casa. Cada planta, com exceção de algumas, pode defender somente uma faixa do gramado, então o jogador deve estar atento para não deixar nenhum ponto desprotegido. Para montar suas defesas é preciso “comprar” as plantas disponíveis, e para isso é usado “raios de sol”, que podem ser obtidos plantando girassóis e, nas fases durante o dia, eles caem do céu em momentos aleatórios.

Esse é o funcionamento básico de Plants vs. Zombies, que diverte muito, graças não só a premissa criativa, mas também a grande variedade, tanto de fases, plantas como inimigos. Começando pelas fases, que variam em dia e noite, com neblina que cobre grande parte do jardim impedindo que o jogador consiga enxergar os mortos vivos chegando, a outras com uma grande piscina e até mesmo no telhado de sua casa.

Os inimigos também são muitos, vem em grande quantidade e possuem habilidades diversas, desde os zumbis comuns, que apenam andam em linha reta a outros que conseguem saltar uma de suas defesas, cavar buracos, invocar outros zumbis e muito mais. A enorme variedade de inimigos obriga que os jogadores façam defesas equilibradas, sem usar muito um determinado tipo de planta e variando mais suas defesas.

Por falar nelas (plantas), a quantidade aqui também é generosa, que se dividem em suporte, defesa e ataque, além dos tipos de dia e noite. Sim, à noite as defesas mais eficazes são os cogumelos, que são mais baratos; de noite é bem mais difícil angariar recursos. Cada planta possui suas vantagens e desvantagens e todas serão importantes em algum momento da campanha principal, trazendo uma variedade enorme de estratégias e defesas que é possível montar.

Os tipos são os mais diversos, desde as básicas que apenas atiram uma semente por vez, a outras que atiram sementes congeladas diminuindo a velocidade dos inimigos, barreiras, espinhos, plantas aquáticas para usar nas piscinas e muito mais. O limite para suas defesas é a sua criatividade e quantidade de recursos que consegue adquirir, deixando as coisas bem divertidas e desafiadoras, já que nas fases mais avançadas é relativamente difícil segurar as hordas de inimigos.

Para completar, o jogador vai liberando plantas novas conforme avança na campanha principal, como também ganha prêmios e dinheiro, dinheiro que é usado na loja do Crazy Dave, um louco que vende no porta-malas de seu carro muitos itens úteis, entre eles algumas plantas bem mais poderosas. A menção honrosa da campanha principal vai para os mini-games que aparecem depois de um determinado número de fases batidas por nível, que são muito divertidos e deixam a jogatina ainda mais prazerosa.

 

Boas opções do que fazer

Após finalizar a campanha principal ainda há uma boa quantidade de tarefas, como tentar conquistar todas as proezas (achievements, troféus, etc). Além deles é possível cultivar plantas no “Zen Garden”, que você ganha durante a campanha e mini-games ou compra na loja de Dave.

Também há três modos bem divertidos, um de mini-games que apresenta uma variedade enorme de modos divertidos e alguns bem desafiantes, como um onde os zumbis têm cabeças de plantas e atiram sementes contra suas defesas, deixando as coisas bem difíceis, a outros modos bacanas, como alimentar pequenos zumbis em um aquário com cérebros antes que os mesmos morram sufocados.

O outro modo é o de puzzles, que trás duas modalidades distintas. Uma o jogador tem uma série de vasos espalhados no gramado e, precisa quebrar todos eles. Alguns têm plantas e raios de sol, já outros zumbis. A outra modalidade também é bem divertida, já que você estará do lado dos zumbis e precisará usá-los para atravessar as defesas inimigas e comer todos os seis cérebros. É bem divertido usar os diferentes tipos de zumbis e estratégias para passar por cada nível, lembrando sempre que a quantidade de raios de sol – que também são usados para comprar novos zumbis – é limitada, logo é preciso pensar bem suas estratégias.

Finalizando as modalidades extras está o Survival, que traz vários cenários distintos e desafia o jogador a resistir a hordas de zumbis. O último nível do Survival é sem duração, para testar até que ponto o jogador consegue chegar.

Por fim, a última tarefa do game da PopCap é crescer a Tree of Wisdom, que além de garantir mais um troféu fornece dicas para os jogadores, apesar de que grande parte dessas dicas serão desnecessárias depois de completar a campanha principal; é dito muita coisa que o jogador já sabe.

 

Gráficos e sons

Os gráficos de Plants vs. Zombies são bonitos e carismáticos, com artes em 2D muito bem feitas, cheias de detalhes e vida, graças as excelentes animações do jogo. Os cenários também têm uma ótima arte, assim como os zumbis, alguns bem característicos, como a versão zumbi removida de Michael Jackson; é possível encontra-la em uma rápida pesquisa no google ou youtube.

Os sons do jogo são bem feitos e ajudam a exaltar ainda mais o lado cômico do título, embalados por uma ótima trilha sonora, que se encaixa de forma exemplar a temática de Plants vs. Zombies, com várias melodias distintas, algumas calmas outras mais agitadas, misturando algumas pequenas músicas orquestradas com outras que misturam sons de guitarra. Destaque fica por conta da música no final do game, que apesar de não ser tão marcante quanto “Still Alive” de Portal, promete conquistar muita gente.