Share Button

A mais recente edição da revista Edge traz uma entrevista com o produtor executivo, Yu Miyake, da série Dragon Quest, que falou a respeito da popularidade da franquia no ocidente em comparação com Final Fantasy, que é um assunto no qual a Square Enix vem “pensando muito internamente.”

Miyake disse que a Square Enix deveria ter originalmente colocado mais empenho na localização de Dragon Quest nos anos 90, informando que se tivessem feito isso, não estariam hoje enfrentando o problema em deixar a série tão popular no ocidente quanto Final Fantasy.

O produtor também falou que a audiência de Dragon Quest no Japão é bem ampla. “Vai de estudantes do primário até pessoas nos seus 50 anos,” disse, e complementou explicando sobre a arte utilizada na série, que no Japão é bastante aceita mas que no ocidente pode não agradar alguns jogadores.

“O estilo artístico de Akira Toriyama é cartunesco, e no Japão isso não afasta ninguém; não é visto como algo infantil. Mas fora do Japão, eu acho que muitas vezes há um estigma anexado a este tipo de visual. Agora, quando um adulto experimenta o jogo, ele descobre que o assunto abordado é realmente maduro. Mesmo assim, jogadores ainda são deixados com esta desconexão entre como o jogo parece e como ele é. Isso não existe no Japão. O que estamos vendo agora é que a idade das pessoas que estão jogando está crescendo. O interesse também está aumentando.”

Logo em seguida, Miyake disse algo que deixa claro que a Square Enix pretende lançar Dragon Quest XI no ocidente.

“Estamos tentando colocar mais empenho em promover no exterior os títulos alternativos nos quais estivemos trabalhando – Dragon Quest BuildersDragon Quest Heroes – de modo a preparar o terreno para Dragon Quest XI.”

Por último, Miyake comentou sobre como o design de Final Fantasy muda frequentemente e precisa lidar com o risco de afastar os fãs, enquanto que Dragon Quest procura manter uma experiência tradicional e ao mesmo tempo garantir que os jogadores não se cansem, fazendo mudanças não no jogo em si, mas sim na maneira como ele é jogado.

“Em Dragon Quest IX fizemos um jogo portátil, porque esta era a forma na qual as pessoas estavam predominantemente jogando games naquela época. Dragon Quest X fizemos um jogo online. Então é dessa forma que tentamos manter a série revigorada. Na verdade, nós corremos o risco de afastar fãs quando migramos da arte pixelada para 3D com Dragon Quest VIII. E quando fizemos o décimo jogo, muitos jogadores reclamaram, dizendo que Dragon Quest nunca deveria ser um jogo online. Mas acontece que, em cada um destes casos, quando você começa a jogar o game, você percebe que ele ainda passa a mesma sensação. Ainda é quintessencialmente Dragon Quest.”

Dragon Quest XI sai no Japão este ano para 3DS e PS4. Uma versão para Switch também está confirmada, mas não possui data de lançamento. Dragon Quest VIII chega para 3DS no próximo dia 20 no ocidente, enquanto que Dragon Quest Heroes II sai para PS4 por aqui no dia 25 de abril.

Via Gematsu