Share Button

Desde 2018 a Nvidia prometeu uma reinvenção nos gráficos de jogos eletrônicos por meio do uso do Ray Tracing, tecnologia que também é um dos grandes holofotes da próxima geração de videogames, como o PlayStation 5 e o Xbox Series X.

Apesar de ser o assunto do momento, muitas pessoas ainda não conhecem essa técnica de processamento visual que promete revolucionar o futuro do mercado de games.

Para você não ficar de fora e buscando esclarecer esse tema para os nossos leitores, trazemos algumas informações básicas sobre o Ray Tracing. Confira!

O que é Ray Tracing?

O Ray Tracing, ou “Traçado de Raios”, é uma técnica de renderização de imagens tridimensionais em computação gráfica, que tem como base a recriação de luzes e sombras dos objetos até os olhos do observador em tempo real – ou no caso, o jogador – levando em conta o ambiente em que está inserido.

Vários fatores influenciam nessa interação da luz com os objetos, como o tamanho, cor, superfície, textura e outras características, que são refletidos de volta para os nossos olhos, gerando assim a imagem que vemos.

Imagem de vídeo da Disney que explica como funciona o Ray Tracing em seu método de animação 

O objetivo dessa técnica é reproduzir na tela um alto grau de realismo visual, deixando tudo mais bonito e mais verossímil ao simular digitalmente uma variedade de efeitos ópticos como a reflexão, refração, espalhamento e dispersão.

Apesar de ser uma novidade na indústria de games, o conceito de Ray Tracing já existe há alguns anos no mercado cinematográfico, sendo utilizado por grandes estúdios para a criação de efeitos especiais, como por exemplo em clássicos como O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991) e Jurassic Park (1993).

Uso de Ray Tracing em Battlefield V

É claro que com o tempo, a técnica foi sendo aprimorada e seu uso se tornou mais comum no cinema, especialmente em animações 3D e filmes com grande uso de computação gráfica (como os populares filmes de super-heróis), assim como em produções para a televisão.

Para não restar dúvidas, a própria Nvidia explica: “O Ray Tracing é o santo graal dos gráficos de games, simulando o comportamento físico da luz para proporcionar uma renderização em tempo real e com qualidade cinematográfica até mesmo nos games mais visualmente intensos”.

Confira abaixo um vídeo demo do Ray Tracing com a Capitã Phasma da saga Star Wars:

Ray Tracing nos games

Mesmo nos cinemas, a técnica do Ray Tracing é complexa e exige um desempenho de processamento gigantesco, algo que até pouco tempo parecia ser impossível ser transportado para computadores caseiros e consoles de videogames.

Após anos de estudos, a Nvidia apresentou em 2018 sua nova linha de GPUs, a GeForce RTX série 20, introduzindo uma adaptação da tecnologia Ray Tracing com a arquitetura Turing.

Mas os jogos 3D estão aí há décadas, sem o uso do Ray Tracing, como isso é possível? Jogadores mais veteranos devem se lembrar dos primeiros games tridimensionais, com polígonos quadradões e uso de luzes, sombreamento e cores bem rudimentares – e ainda assim conseguiam passar ambientes 3D, como os clássicos Wolfenstein 3D (1992) e Doom (1993), pioneiros no gênero de tiro em primeira pessoa.

Final Fantasy VII (1997) – uma época mais simples

Com o tempo, as técnicas foram evoluindo e os game designers descobriram novos truques para “maquiar” e “disfarçar” os gráficos tridimensionais quadradões, como a renderização, texturas em alta resolução, o uso de shadders, entre outros, chegando ao que conhecemos atualmente.

Agora com o Ray Tracing, os estúdios de games poderão reproduzir um grau de realismo muito elevado em tempo real (uma das grandes dificuldades em relação às produções de cinema), de preferência rodando a 60 fps – no caso dos videogames da nova geração, os primeiros jogos provavelmente rodarão a 30 fps.

O lendário FPS Quake II (1997) reinventando com visual de Ray Tracing

Vários games já estão habilitados para uso de Ray Tracing nos computadores, como é o caso de Battlefield V, Control, Metro Exodus, Shadow of the Tomb Raider, Call of Duty: Modern Warfare entre outros – claro que o desempenho do título vai variar de acordo com a configuração da máquina.

Além da Nvidia, a sua principal rival AMD, a Microsoft (Xbox Series X e Windows/DirectX) e a Sony (PlayStation 5) já confirmaram que pretendem implementar o suporte a tecnologia Ray Tracing em seus respectivos consoles.

Abaixo você confere uma lista de alguns jogos que prometem utilizar o Ray Tracing de forma revolucionária!

Cyberpunk 2077

Data de lançamento: 17 de setembro de 2020

Um dos games mais aguardados dos últimos tempos, Cyberpunk 2077 promete utilizar a Nvidia GeForce RTX para trazer um visual impressionante para a futurística megalópole Night City, em que as aventuras do jogo se situam.

World of Warcraft : Shadowlands

Data de lançamento: 2020

Ainda sem uma data de lançamento definida, mas prometida para 2020, a nova expansão de World of Warcraft, chamada de Shadowlands, promete dar uma turbinada nos gráficos, especialmente em relação às expansões anteriores.

Watch Dogs: Legion

Data de lançamento: 2020

Inicialmente previsto para o dia 6 de março de 2020, Watch Dogs: Legion teve seu lançamento adiado pela Ubisoft, junto com outras produções do estúdio, para o final de 2020, possivelmente junto com o lançamento dos novos PlayStation 5 e Xbox Series X. O jogo vem com o Ray Tracing, que promete uma Londres do futuro próximo bem viva para os jogadores explorarem.

Vampire: The Masquerade – Bloodlines 2

Data de lançamento: 2020

Também prometido para o final de 2020, Vampire: The Masquerade – Bloodlines 2 é baseado no popular RPG de mesa Vampiro: A Máscara e é a continuação do jogo de 2004. Ambientado na Seattle do século 21, o jogo contará com a ajuda do Ray Tracing para melhor retratar o mundo em que vampiros, lobisomens, demônios e outras criaturas interagem com os humanos.

Dying Light 2

O jogo de terror e sobrevivência com zumbis, que já foi adiado e ainda não possui uma data de lançamento definida, promete utilizar o Ray Tracing grandes efeitos de iluminação e sombras, já que as zonas escuras são um elemento importante do game.

Games já disponíveis com Ray Tracing

As placas Nvidia GeForce RTX série 20 foram lançadas em setembro de 2018, e nos meses que se seguiram aos poucos os desenvolvedores foram adaptando títulos para o uso da nova tecnologia do Ray Tracing. Confira alguns deles abaixo:

Minecraft

Um dos maiores sucessos da história dos videogames, o popular jogo de blocos também recebeu uma atualização para o Ray Tracing, oferecendo aos jogadores visuais mais refinados e impressionantes para criar, construir e explorar seus incríveis mundos coloridos. Além disso, a Nvidia juntamente com a Microsoft Studios e a Mojang (criadora do jogo), lançaram cinco novos mundos com o uso do RTX, que já estão disponíveis no Windows 10 Beta para os jogadores testarem de graça.

Call of Duty: Modern Warfare

As guerras modernas de Call of Duty nunca foram tão bonitas na tela, com um nível gráfico impressionante, especialmente com o uso do Ray Tracing em zonas e ambientes escuros, levando imersão para outro nível.

Metro Exodus

O jogo de tiro em primeira pessoa e com elementos de survivor horror causou polêmica ao abandonar os usuários do Steam e optar por um lançamento exclusivo da Epic Store. Foi um dos primeiros títulos a receber o Ray Tracing, que foi melhor utilizado na DLC The Two Colonels.

Wolfenstein Youngblood

Em janeiro de 2020 o jogo derivado da série Wolfenstein implementou o Ray Tracing, o que ajudou a melhorar os seus ambientes e personagens na iluminação, texturas e objetos 3D.

Control

Esta aventura de ação sobrenatural na terceira pessoa ganhou uma nova dia com o Ray Tracing, sendo que os ambientes diversos e arquiteturas interativas são elementos essenciais do gameplay.

Bright Memory

O jogo indie Bright Memory é uma fusão dos gêneros de FPS e ação em velocidade alucinante utilizando o Unreal Engine e claro, o Ray Tracing, uma combinação que resultou em visuais fantásticos – uma boa opção para quem tiver uma máquina robusta e quiser iniciar sua viagem pelo Ray Tracing.

Uma novidade é que a Galax e a NVIDIA enviaram uma placa Galax GeForce RTX 2080 Super e agora nós do GameHall poderemos analisar os games da nova geração com Ray Tracing e DLSS.