Share Button

A desenvolvedora de “League of Legends” (LoL), Riot Games, contratou sua primeira Diretora de Diversidade para resolver os problemas com sexismo e ambiente tóxico de trabalho denunciados por alguns funcionários – e por uma investigação especial do site “Kotaku”.

Trabalhando anteriormente para a Dropbox, Angela Roseboro possui uma difícil missão pela frente. A contratação aconteceu por volta de 6 meses depois da Riot responder publicamente as alegações do gênero.  Na ocasião, os responsáveis pela empresa afirmaram: “nós sentimentos muito. Sentimentos muito que a Riot não é – ou não foi – um lugar como nós prometemos“. Eles se comprometeram a resolver as situações apontadas.

Em novembro de 2018, funcionários e ex-funcionários da empresa processaram a responsável pela criação de “LoL” por discriminação de gênero, assédio sexual e pagamento desigual. Relatos apontam que o Chefe Operacional, “Scott Gelb”, soltava gases nos seus trabalhadores e encostava em suas partes íntimas – alegando ser “piada”.

O rapaz foi afastado por dois meses, sem receber salário; contudo, não foi despedido – causando, assim, um grande desconforto entre o time interno. Ele voltará a trabalhar ainda neste mês, data que coincidirá com a contratação de Angela.