Share Button

Atualização 14/03 – 14h39:

Atualizamos a matéria e removemos as declarações do ex-animador da Naughty Dog, Jonathan Cooper, devido ao fato de que ele aparentemente mentiu no que diz respeito à dizer que sua colega foi hospitalizada por causa do trabalho excessivo na produtora. De acordo com ela, que atende no Twitter @gabs820, ela foi hospitalizada na verdade devido à ter ficado com a pressão muito baixa por causa da menstruação.

Uma ex-colega de Cooper, Alexandria Neonakis, criticou ele por ter tirado a postagem da colega de contexto.

Devido a isso, removemos todos os seus comentários sobre a empresa pois perdem a credibilidade por causa disso e deixamos apenas as declarações obtidas pela Kotaku no texto.

Noticia original 13/03 – 08h56:

De acordo com uma nova reportagem divulgada pela Kotaku, a Naughty Dog pressionou seus funcionários para além do limite de modo a poder concluir The Last of Us Part II.

O estúdio é conhecido nos bastidores da indústria por realizar “crunch” com seus empregados, que é o termo em inglês usado para dizer que os desenvolvedores são forçados a realizar rotinas de trabalho que podem chegar a até 100 horas semanais, inclusive sem receber por muitas dessas horas extras.

Teoricamente você não é obrigado a trabalhar esse tempo adicional, mas de acordo com alguns funcionários, a pressão e a cultura da empresa acabam te forçando a fazer isso.

“Você se sente obrigado a estar lá, porque todo mundo estará lá,” disse um ex-desenvolvedor do estúdio. “Se uma animação precisava ser colocada e você não estava lá para ajudar o animador, você está agora impedindo o animador de trabalhar, e eles podem ficar chateados com você. Pode até não ser dito e ficar apenas no olhar. ‘Cara, você acabou comigo completamente na noite passada por nãoe star aqui às 23h.'”

Outro desenvolvedor da Naughty Dog disse: “Isso não pode ser algo que continua repetidamente para cada jogo, pois é insustentável. Chega uma hora que você percebe, ‘Eu não posso continuar fazendo isso. Estou ficando velho. Eu não posso ficar e trabalhar a noite toda.'”

Um terceiro funcionário disse que isso ocorreu durante o desenvolvimento de The Last of Us Part II, e embora o jogo seja bom, teve “um custo alto para as pessoas” envolvidas.

O relato da Kotaku diz que o departamento de design da Naughty Dog é repleto de pessoas que não se conhecem, já que muitos ali acabam se cansando e deixando a empresa para trabalhar num lugar mais amigável. Para se ter uma ideia, 70% dos designers e artistas que trabalharam em Uncharted 4 saíram da Naughty Dog, que precisou preencher estas vagas com pessoas menos experientes, que nunca haviam trabalhado em jogos dela antes de The Last of Us Part II.