Share Button

Sempre que surgem novos games do aracnídeo lembro-me de Spider-Man: Separation Anxiety lançado para Super Nes. Essa foi a minha introdução ao universo do Aranha nos games. Na época ainda criança ficava babando ao poder lançar teias nos inimigos, grudar nas paredes e balançar pelos prédios igual assistia nos desenhos animados. O tempo foi passando e o famoso herói da marvel foi ganhando títulos para novos consoles, alguns bons outros ruins. O primeiro grande jogo foi Spider-Man lançado para PSOne, Nintendo 64 e Dreamcast. O game era impressionante, e a sensação de escalar as paredes e balançar entre os prédios era muito melhor em 3D, além disso, quase todos os grandes inimigos do Aranha estavam presentes no jogo. Depois de um tempo surgiu o PlayStation 2 e mais um grande game merecedor de destaque, Spider-Man 2. Baseado no filme da época, Homem-Aranha 2 foi inovador, levando o jogador a Nova York, sendo possível andar, ou melhor voar entre os prédios da cidade inteira enfrentando bandidos e salvando civis.

A vida do herói nem sempre foi um mar de rosas nos games, mas relembrar jogos ruins não é legal certo? Por isso vamos ao Spider-Man: Friend or Foe, e escrever apenas uma palavra para decifrar o jogo: terrível. Web of Shadows chega para todos os consoles para apagar da mente dos jogadores o game anterior. Contando com Venom como o vilão, a história começa mostrando um grande caos na cidade, onde agentes especiais da S.H.I.E.L.D. estão enfrentando diversos civis contaminados com o simbionte alienígena. O herói enfrenta Venom e acaba pegando para si parte do simbionte, dando ao jogador a possibilidade de usar a roupa normal vermelha e azul ou a negra.

A roupa negra é a grande novidade do jogo. Em diversos momentos o jogador deverá decidir entre duas opções: Red ou Black para seguir em sua missão. Cada escolha é contada e influencia no final da história. Além disso, ambas as roupas tem seus pontos fortes, com a vermelha o Aranha ganha em agilidade, com a negra em força, ou seja, a todo o momento o jogador trocará devido a necessidade da missão. Os combos foram muito bem desenhados pela produtora. Para habilitar novos golpes o sistema de evolução funciona como um RPG, a cada vilão vencido ou missão concluída um certo número de pontos é recebido. Os poderes da roupa negra são os melhores para enfrentar os chefes, e o combo final é muito parecido com o de Kratos em God of War. Já os da roupa vermelha são belos, mostrando a grande agilidade do Homem-Aranha. Vale um destaque para os combates aéreos, é possível lançar teias nos inimigos acertá-los com um golpe e a partir deste, ir para cima de outro vilão sem colocar os pés no chão.

A liberdade para balançar entre os prédios é muito parecida com a de Spider-Man 2 para PlayStation 2. Os voos do Homem-Aranha estão muito bonitos tal qual seus combos, e é tão divertido passear pela cidade (quando os slowdowns não atrapalham) que o jogador passará horas buscando itens colecionáveis por prazer, algo que em outros games seria chato e repetitivo. O mesmo pode-se dizer de suas missões opcionais. Em sua maioria são vencer bandidos e salvar civis, mas como os combos são fáceis de serem aplicados, é divertidíssimo ficar espancando uma série de vilões que ficam andando em grupos pelas ruas, fazendo o jogador tentar sempre quebrar seu recorde de combos.

Os chefes do jogo estão muito desafiantes, alguns deles são Gata Negra, Abutre, Wolverine e Electro. Muitos devem estar se perguntando Gata Negra? Wolverine? Exatamente, como falado antes Venom depositou pela cidade milhares de simbiontes, e claro o alienígena tomou os heróis também. Cada batalha tem um elevado desafio, e estratégias certas para vencer. Vale um destaque aqui para o chefe final, quem já assistiu ao trailer do game sabe de quem estou falando. Animação de encher os olhos em sua entrada triunfal frente a frente com o Homem-Aranha.

Os gráficos são os melhores se comparados com os antigos games do Aranha, mas ainda muito pobres em relação a atual geração. O herói até que é bem feito assim como os chefes, mas os bandidos normais e simbiontes são bem pobres, os prédios têm um detalhe aqui outra lá e os carros são bem feios. O som ambiente é eficiente, com barulhos de carros de polícia, tiros e explosões, a mixagem das teias do Aranha também não é ruim. A jogabilidade é boa, com controles fáceis e de resposta rápida. Os grandes pontos fracos ficam por conta do ruim sistema de câmera, por diversas vezes deixando o jogador vendado em uma situação de perigo, constantes slowdowns a partir do Ato 3 devido a grande quantidade de personagens que aparecem na cidade, transformando-a em uma verdadeira praça de guerra e algumas contradições. A qualquer momento você pode levantar um carro com um civil e jogá-lo em cima de um grupo de inimigos, todos os bandidos irão morrer, mas o civil vai junto. Chega até ser engraçado o Homem-Aranha matando inocentes, pois é em Web of Shadows acontece.