Share Button

Com raças bem distintas e o multiplayer explosivo de sempre, “StarCraft II: Wings of Liberty” vem pra conquistar (e reconquistar) fãs dessa obra prima meio esquecida da Blizzard. Sim, pois se você não for coreano ou fanático por jogos de estratégia é muito provável que não esteja jogando o antigão.

A primeira coisa a notar ao acessar a versão beta é a Battle.net renovada. A interface é simples e fácil de navegar, além de uma tonelada de novas funcionalidades. O bate-papo funciona como um “Messenger“, e permitirá aos jogadores interagir com amigos que não estão apenas jogando “StarCraft II“, mas outros jogos da Blizzard (Diablo III). A nova Battle.net também terá ligas para jogadores de diferentes níveis de habilidade. Quando você começa, é sugerido que você jogue cinco jogos no modo “principiante”, e com base no que você faz nesses jogos, vai ser colocado em um campeonato com jogadores de habilidade similar.

Assim que você entrar no jogo propriamente dito, uma coisa se torna evidente: a ambientação monstra de “StarCraft“.  A interface é muito semelhante à original, com o mapa do lado esquerdo, a janela da unidade no meio, e outros controles do lado direito. Você ainda precisa recolher minerais e gás, construir uma base e um exército, e tentar destruir a força do seu inimigo. Ainda há apenas três raças – o Terrans, os Zergs, e os Protoss. Todas as três raças são excepcionalmente diferentes e extremamente bem equilibradas.

A jogabilidade permanece praticamente inalterada desde o primeiro “StarCraft“, e os fãs mais hardcores vão gostar. Com os jogos de estratégia em tempo real ficando cada vez mais complexos, e muitos introduzindo elementos de RPG, é bacana ver um jogo que volta plenamente às origens. Sem muita frescura, com jogabilidade rápida e explosiva.

Depois de uma partida, há uma infinidade de informações e estatísticas para os mais fanáticos estudarem. Além disso, o novo menu de ajuda é útil tanto para os novatos e veteranos. Todas estas ferramentas ajudam a tornar “StarCraft II” muito acessível para os jogadores que nunca jogaram o original antes, e ao mesmo tempo, ajudar a melhorar as habilidades de viciados que têm jogado por mais de uma década.

O novo motor gráfico em 3D é muito leve, podendo ser rodado até em máquinas mais simples. Mesmo com mais de cem unidades na tela, não se vê lags ou travadas constantes. As animações estão muito boas também, sendo bastante variadas. Exércitos enormes viajando pela tela ficam incrivelmente realistas neste motor gráfico em 3D, sem perder o feeling da série.

O único ‘senão’ do game, é o fato da Blizzard ter dividido o game em 3 campanhas separadas, sendo cada um vendido separadamente. Isso vai encher o saco de quem gosta de jogar as campanhas single player (eu por exemplo). Só falta agora querer cobrar por mês também.