Share Button

por Márcio Alexsandro Pacheco

Um dos maiores clássicos da história dos videogames, “Super Mario Bros” para o Nintendinho faz aniversário hoje, 13/09/1985 (no Japão), completando quase 30 aninhos, muitos deles divertindo uma incontável geração de gamers, além de ser o principal responsável pelo grande sucesso da Nintendo. Ele revolucionou o mundo ao mostrar que uma tela de videogame poderia ser mais do que as imagens estáticas dos jogos do Atari, até então o soberano no mercado mundial, com gráficos, visuais e sons bem superiores aos jogos do rival norte-americano.

Foi um dos primeiros jogos de plataforma com rolagem lateral da tela, que mostrava ao jogador um gigantesco e elaborado mundo de fantasia que poderia ser explorado de diversas formas. Era, até pouco tempo, o game mais vendido da história, com mais de 40 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, mas o recorde foi ultrapassado pelo “Wii Sports”, com simplórios 80 milhões (outros tempos, o Wii vendeu o dobro que o NES, então apesar de parecer grande coisa, estão mais ou menos equivalentes). Inspirou milhares de imitações e claro, popularizou o estilo de jogo de plataforma. Isso sem contar que lançou o seu criador, Shigeru Miyamoto, para o estrelato mundial, cara que ainda criou, e continua criando, várias das mais famosas franquias da Nintendo.

Eu me lembro a primeira vez que joguei SMB: foi na casa de um amigo que tinha um NES (eu iria comprar um clone piratex, o Hi Top Game, tempos depois – o NES original era coisa pra rico!) e foi amor a primeira jogada. Eu tinha um Atari e era viciadão nele, tinha de tudo, mas quando vi aquele nanico pulado em cima das tartarugas, subindo plataformas, entrando nos canos e aqueles cenários coloridos, mudou a minha vida – que não era muito longa, devia ter uns 7 ou 8 anos. Comecei a acompanhar o cenário dos videogames mais atentamente, e aqui estou, anos depois, ainda jogando os games do Mario.

SMB é na verdade uma sequência do fliperama “Mario Bros“, lançado em 1983, e a primeira vez que seu nome era usado em um jogo eletrônico, junto com o seu irmão Luigi. Mas sua primeira aparição data de 1981, no arcade “Donkey Kong“. E quem diria que um encanador, gordinho, baixinho e bigodudo iria virar um ícone mundial mais famoso que Mickey Mouse? Certamente seu criador não tinha ideia do que o futuro lhe reservava, mas segundo o próprio, Mario teve seu visual graças a fraca tecnologia de 1981:

Chapéu: Não haviam pixels suficientes para representar os movimentos dos cabelos enquanto Mario pulava, então Miyamoto deu a Mario um chapéu para cobrir os cabelos.

Bigode: Novamente, devido à quantia limitada de pixels loteada pelo personagem, Mario recebeu um narigão e um bigode para que as pessoas notassem que ele tinha um nariz.

Macacões: Para ver os movimentos dos seus braços, eles precisavam ser de uma cor diferente de seu corpo, assim ele usava uma camisa azul e por cima um macacão vermelhos para resolver este problema. Quando SMB foi lançado para NES, trocaram sua camisa por uma cor castanha, mas o macacão vermelho continuou o mesmo até sair SMB2, onde a camisa ficou vermelha e os macacões azuis, esquema de cores que não mais se alterou, virando marca registrada de seu visual até hoje.

Com o personagem carismático na tela, ficou fácil para SMB conquistar os jogadores com uma fórmula incrivelmente simples: ele era divertido e viciante. Os comandos para controlá-lo eram igualmente fáceis: apenas andar, correr e saltar. Era acessível a todo mundo, com um desafio crescente em seus oito mundos, e tinha um objetivo: salvar a princesa.

De acordo com o manual, “Um dia, o pacífico Reino dos Cogumelos foi invadido pelos Koopas, uma tribo de tartarugas famosas pelo uso de magia negra. Os pacíficos e calmos habitantes do reino foram transformados em pedra, barro e mesmo em flores pelo caminho. Assim, o Reino entrou em ruína. A única pessoa que pelo menos tenta enfrentá-los é a Princesa Peach, filha do rei do local. Mas infelizmente, ela está sendo mantida em cativeiro pelo Rei dos Koopas, Bowser, que quer se casar com ela para poder virar rei do seu reino. Sabendo disso, um encanador chamado Mario decide que irá salvar a princesa e assim libertar todos os habitantes do reino“. O tema pode ser batido, mas na época era o que movia e cativava milhões de jogadores.

Assim, deixamos aqui essa homenagem a um dos mais importantes games da história, “Super Mario Bros” não apenas revolucionou a indústria, como encantou milhares de pessoas em todos os cantos do mundo e criou um dos maiores heróis virtuais de todos os tempos. Vida longa ao encanador bigodudo, e que continue sempre com ótimos jogos e divertindo os fãs, pois isso é o que ele faz de melhor!

E não esqueça de compartilhar nos comentários suas histórias com “Super Mario Bros” ou, se você for mais novinho, do seu primeiro contato com o antológico personagem! Conta aí pra nós como foi a sua primeira vez com o bigodudo!