Share Button
– série versus retorna em grande estilo –

O Nintendo Wii pode ser o console mais vendido do mercado, mas mesmo assim ele tem as suas carências, como bons jogos de RPG e jogos de luta. E é sobre esse último que iremos falar hoje. Tirando Super Smash Bros. Brawl, a lista de jogos de luta para o Wii no ocidente (alguns títulos foram lançados apenas no Japão) não é lá das melhores. Eis que surge então Tatsunoko vs Capcom: Ultimate All-Stars, exclusivamente para o Wii e arcades.

Produzido pela Eighting (que já tem alguma experiência na produção de jogos de luta) e distribuído pela Capcom, Tatsunoko vs Capcom é o sétimo título da série versus, que inclui a famosa série Marvel vs Capcom e nasceu lá no ano de 1994, com X-Men: Children of the Atom (sim, eu sei que ele não é um versus, mas foi quem deu origem a tudo). Marvel vs Capcom 2, lançado em 2000, foi o último da série. Agora passados oito anos, a série versus renasce com força total no seu Wii.

Saem os mutantes, aranhas e vingadores da Marvel (que agora pertencem à Activision) e entram o elenco do estúdio japonês Tatsunoko Productions. Nunca ouviu falar? Você não gosta de animes? Não assistia desenhos nos anos 70? Não se preocupe, apesar da maioria dos personagens da Tatsunoko serem desconhecidos por aqui (a maioria de animes dos anos 70), a mecânica e o espírito da série versus se manteve intacta, ou seja, pode esperar um jogaço de luta e muita diversão! Vamos a ele.

O estúdio de animação Tatsunoko Production foi fundada em 1962, mas não é tão famosa como a Toei Animation ou a Gainax. Entre os seus trabalhos mais conhecidos aqui no Brasil temos Speed Racer, Zillion, Shurato e co-produção em animes como Neon Genesis Evangelion e Super Dimension Fortress Macross (traduzido por aqui como Guerra das Galáxias).

Nostalgia com cara nova

Infelizmente a bela introdução japonesa em estilo anime foi alterada na versão americana, que não ficou tão legal, assim como os finais de cada personagem e alguns temas, mas tudo bem, o mais importante é que a mecânica e a diversão não foram tocadas. A primeira coisa que você irá notar quando começar a jogar são os gráficos 2.5D, uma combinação entre gráficos 3D e e jogabilidade 2D. Os gráficos dos cenários possuem boas texturas e a dos personagens são renderizados em cell shading 3D, o primeiro da série versus a usar esse estilo. Claro que está longe da qualidade do belíssimo Cell Shading de Street Figter IV, mas os gráficos de Tatsunoko vs Capcom casaram muito bem com os padrões do Wii, são agradáveis e bem polidos. É tudo tridimensional, mas com aquela nostalgia 2D igual aos jogos clássicos da série Street Fighter.

Os cenários ao fundo em sua maioria possuem modelagens e texturas simples, mas estão bem trabalhadas, são bem animadas, coloridas e são visualmente agradáveis de se ver. Mas o grande destaque mesmo são os efeitos visuais, com um competente uso de luzes, sombras e cores, principalmente nos golpes especiais e nos combos dos personagens, que são lindos de se ver e acabam impressionando, ficando bem acima da média de outros jogos de luta para o console, como o recente TMNT: Smash Up. Os personagens estão todos bem caracterizados e possuem animações graciosas e detalhadas.


Agora um dos fatores mais importantes em um jogo de luta, a sua jogabilidade. Como de costume, os jogos para o Wii têm uma tendência a simplicar os controles para que a maioria dos jogadores possam se adaptar, e aqui não é diferente. Temos para todos os gostos, se você já é um veterano em jogos de luta, poderá jogar com o controle clássico ou com o controle do Game Cube, que oferecem todos os recursos e técnicas clássicas dos jogos de luta. Ou você ainda pode usar apenas o Remote ou o Remote com o Nunchunk, indicado para os iniciantes em jogos de porrada, pois eles simplificam os comandos e golpes mais elaborados. Aqui não temos o tradicional controle de seis botões, apenas três serão usados (fraco, médio e forte) e um quarto botão para acionar o parceiro. Sim, o sistema de lutas é em duplas, podendo alternar entre eles durante a batalha. Você leva um tempo para se acostumar com o esquema de três botões, especialmente para se alternar entre socos e chutes, mas nada que um pouco de prática não resolva.

Além dos golpes de cada personagem, temos os comandos universais, como corridas para trás ou para frente, o air launcher, pulos duplos, super pulos, agarrões e as barras de energia que podem acumular até cinco níveis, que podem ser gastas para usar golpes especiais, combos e maravilhosos hyper combos. Como novidade alguns novos comandos foram adicionados, como o Baroque, que permite combos maiores e o Mega Crush, usado para escapar de investidas perigosas, inclusive hyper combos.

Os comandos são precisos e fluidos, e os personagens respondem instantâneamente, mesmo a comandos mais elaborados, não causando nenhum tipo de problema ou dor de cabeça para quem está jogando. As lutas são bem balanceadas, e se você dominar bem as técnicas e combinações, poderá jogar bem com qualquer um dos personagens, com combos e sequências devastadoras.

E falando em personagens, temos um elenco de 26 lutadores. Do lado da Capcom temos uma lista bem variada, passando por Ryu, Chun-Li, Morrigan e até Frank West de Dead Rising. Dois personagens são gigantescos na tela e não podem usar parceiros durante as lutas, é o Gold Lightan da Tatsunoko e PTX-40A do lado da Capcom, o mech do jogo Lost Planet. De um modo geral, são poucos lutadores (Marvel vs Capcom 2 tinha 57 personagens), a lista poderia ser um pouco maior, mas com certeza vai dar pra gastar um bom tempo até você aprender a jogar com todos os lutadores. Veja a lista completa dos personagens e sua origem abaixo:

Capcom

– Ryu – Street Fighter

– Chun-Li – Street Figter II

– Alex – Street Fighter III

– Morrigan Aensland – Darkstalkers

– Batsu Ichimonji – Rival Schools: United by Fate

– MegaMan Volnutt – Mega Man Legends

– Kaijin no Soki – Onimusha: Dawn of Dreams

– Roll – Mega Man

– Saki Omokane – Quiz Nanairo Dreams

– Viewtiful Joe – Viewtiful Joe

– PTX – 40A – Lost Planet: Extreme Condition

– Frank Wets – Dead Rising

– Zero – Mega Man X

– Yami – Okami

Tatsunoko

– Ken the Eagle – Science Ninja Team Gatchaman

– Jun the Swan – Science Ninja Team Gatchaman

– Casshan – Neo-Human Casshern

– Tekkaman – Tekkaman: The Space Knight

– Polimar – Hurricane Polymar

– Yatterman-1 – Yatterman

– Karas – Karas

– Doronjo – Yatterman

– Ippatsuman – Gyakuten! Ippatsuman

– Gold Lightan – Golden Warrior Gold Lightan

– Tekkaman Blade – Tekkaman Blade

– Joe the Condor – Science Ninja Team Gatchaman

– Yatterman-2 – Yatterman

 Você pode esperar todos os modos clássicos de um jogo de luta, temos o Arcade, o Time Attack, Survival, Vs Play, Treino, Shop e Gallery para você comprar extras, além de um modo online. O game além das lutas, oferece alguns bônus, em forma de mini-game bem ao estilos dos jogos old school da Capcom, como Commando.

O game também apresenta uma boa trilha sonora, além de ter vozes em inglês e japonês bem interpretadas. Os efeitos sonoros estão bem produzidos e casam bem com a ação frenética das batalhas. O único defeito do jogo é a lista de personagens da Tatsunoko completamente desconhecida fora do Japão. Mas todos eles são ótimas opções como lutadores, com golpes, combos e especiais únicos para cada um, além dos já conhecidos personagens da Capcom.

Here comes the new challengers!