Share Button

The Wolf Among Us: Episode 1 – Faith” é um game que veio de surpresa e surpreendeu quem o jogou. Produzido pela Telltale Games, a mesma do premiado “The Walking Dead“, o título será dividido em cinco episódios, sendo o primeiro lançado em Outubro de 2013 para X360, PS3, PC, iOS e PSP Vita. Inspirado nos quadrinhos criados por Bill Willingham “Fábulas” (Fables), da DC/Vertigo, o jogo se passa antes dos acontecimentos das HQs e nos apresenta um adventure com mecânicas herdadas de TWD e uma narrativa adulta e eletrizante que vai deixar os jogadores com os olhinhos grudados na tela. Confira o que achamos de TWAU em nossa análise abaixo.

História em quadrinhos

As HQs de “Fábulas“, publicadas no Brasil pela Panini, mostram personagens de contos de fadas vivendo no “mundo real” em Nova York, após serem expulsas do mundo da fantasia por uma criatura conhecida como “Adversário“. O jogador assume o papel do Lobo Mau, que aqui possui uma versão humana chamada Bigby Wolf, que atua como xerife da comunidade chamada de Fabletown. Como todo bom xerife que se preze, seu trabalho é manter a paz e a ordem entre os seres da comunidade, fazendo com que passem despercebidos no mundo real em que vivemos.

O mais legal desse universo é encontrar os personagens ou as várias referências espalhadas pelo jogo, como a loja de sapatos de Cinderella ou testemunhar os problemas conjugais entre a Bela e a Fera. O interessante é que a personalidade das personagens nem sempre condiz com aquelas que conhecemos das fábulas, como é o caso do sedutor e malandro Príncipe Encantado, dos Três Porquinhos e do próprio protagonista, que deixou as maldades para trás para começar uma nova vida. Personagens com aparência humana têm mais chance de se darem bem, enquanto que os animais antropomórficos devem utilizar um encantamento chamado “Glamour” para se parecerem humanos, caso contrário são realocados para uma comunidade chamada “The Farm” – a qual ninguém quer fazer parte.

O jogo começa com Bigby sendo chamado para a pensão de Mr. Toad (do conto O Vento nos Salgueiros) para verificar uma confusão que está ocorrendo no quarto do bebum e agressivo Lenhador (Chapeuzinho Vermelho), que está batendo em uma misteriosa jovem. Após uma briga apoteótica entre os “dois velhos amigos”, Bigby conversa com a mulher, e acreditando ser uma prostituta, tenta ajudá-la. Mas isso é apenas o começo da história, misteriosos assassinatos na boa e velha Fabletown vão tirar as noites de sono de Bigby, que vai ter que bancar o detetive para descobrir o que está acontecendo. Se você nunca leu os quadrinhos, não tem problema, isso não vai afetar o seu desenvolvimento, pois o jogo conta com uma narrativa muito bem elaborada e amarrada, com uma atmosfera de filmes antigos noir de detetives que vão ganhar a sua atenção imediata.

Visuais cartoon

Os gráficos de TWAU são fabulosos, seguindo o estilo cartoon estilizado de TWD, com aquela charmosa pitada de histórias em quadrinhos que dá um charme todo especial para a obra. Os cenários possuem um clima sombrio e violento, as ruas da cidade e as diversas áreas mostram estar vivas, com belas animações e efeitos de iluminação. O design artístico dos personagens é impecável, com um nível de detalhes que surpreendente, tanto dos humanos como dos animais. Há um grande número de personagens NPC, que devem ser interrogados e investigados, cada um demonstrando emoções e personalidade próprias – e as vezes, nem sempre são aquilo o que parecem. Aliado ao visual temos o competentíssimo trabalho com a dublagem, todas muito bem empregadas, combinando com o seu personagem, e com os tons de vozes na medida certa, transmitindo as emoções necessárias de acordo com a situação. Você rapidamente vai esquecer que está conversando com um sapo todo desajeitado ou com um porco fumante, por mais bizarro e surreal que possa parecer.

O pacote sonoro é fechado com maestria com a belíssima trilha sonora orquestrada, em sua maioria com temas de tensão, suspense e uma pitada de jazz, que criam uma atmosfera perfeita para as investigações. Os efeitos sonoros também merecem destaque, com sons de carros, sirenes, passos e barulhos provenientes que variam da área onde se esteja. A jogabilidade é bem parecida com a TWD, que se resume ao sistema de apontar-e-clicar e apertar os botões certos nas cenas QTE. Há várias respostas nos diálogos com outros personagens, que vão influenciar no desenvolvimento de sua aventura, levando à caminhos diferentes – suas escolhas afetarão inclusive os futuros quatro episódios a serem lançados.

O único contra de TWAU é ele ser um jogo extremamente curto, que pode ser terminado em menos de duas horas. Mas claro, esse é apenas o primeiro episódio, para uma experiência completa devemos esperar pelos outros quatro, que devem oferecer num total de mais de 10 horas de jogatina.