Share Button

No próximo 27 de maio de 2018 a série “Dragon Quest” comemora 32 anos de lançamento. Reconhecida como uma das maiores franquias de RPG de todos os tempos, ela também acumula uma série de curiosidades, sendo que algumas você confere agora conosco:

1 – Origens

wizardry6_charon

Segundo o criador da série, Yuji Horii, suas primeiras inspirações para “Dragon Quest” vieram do seu jogo “Portopia”, lançado para computadores japoneses em 1983 e dos RPGs ocidentais “Wizardry” e “Ultima”, ambos lançados em 1981.

2 – Dragon Quest x Dragon Warrior

dragon_warrior

O primeiro jogo da série foi lançado para o Nintendinho 8 Bits em 1986 no Japão, mas chegou ao ocidente somente em 1989, com o nome de “Dragon Warrior“, já que o título “Dragon Quest” pertencia a um RPG de mesa nos EUA. A franquia só passou a usar seu título original mundialmente em 2005, com “Dragon Quest VIII: Journey of the Cursed King” para PS2.

3 – Akira Toriyama

dragon_quest_iii

Para atrair a atenção dos jogadores com o seu primeiro jogo, a Enix (hoje Square Enix) contratou o artista Akira Toriyama, que já era bem famoso no Japão com “Dragon Ball”, para fazer o design artístico dos personagens, parceria essa que dura até hoje.

4 – Censuras

Dragon-Quest-Heroes1

Assim como muitos jogos japoneses dos anos 80/90, “Dragon Quest” sofreu uma série de modificações e censuras nos lançamentos ocidentais que vão desde a arte de Toriyama, até alterações dentro do próprio jogo. A mais famosa é a técnica “Puff Puff”, que no Japão é a onomatopeia de um rosto entre os seios de uma garota (piada usada diversas vezes por Toriyama em Dragon Ball). Essa cena foi censurada por anos nos jogos ocidentais, até ser liberada em “Dragon Quest VIII”.

5 – Anime e Mangá

rototot

Com o sucesso do game no Japão, não demorou muito para surgir o primeiro mangá, publicado em 1989 pela Shonen Jump em 37 volumes. O primeiro anime também surgiu em 1989 e contou com 43 episódios, com traços de Akira Toriyama. Desde então, várias animações e mangás baseados no game foram lançados.

6 – Fly – O Pequeno Guerreiro

O desenho “Fly – O Pequeno Guerreiro“, exibido no Brasil pelo SBT nos anos 90, é na verdade baseado na série “Dragon Quest”. Lançado originalmente como mangá em 1990 como “Dragon Quest: A Grande Aventura de Dai“, a história ganhou versão em anime pela Toei Animation. Desentendimentos entre a Enix e a Toei fizeram com que a série terminasse com apenas 46 episódios. Confira a abertura em português acima.

7 – Fenômeno japonês

A série “Dragon Quest” é tão popular no Japão que a cada lançamento de um novo jogo filas gigantescas se formam em frentes às lojas. Tal popularidade gerou uma lenda urbana, de que foi decretada uma lei no Japão proibindo que novos games da franquia fossem vendidos em dias de semana, para evitar faltosos em escolas e empresas.

8 – Tumba de Erdrick

ff1-erdrick

Na versão americana de “Final Fantasy” há uma tumba na primeira cidade do jogo onde está escrito “Aqui jaz Erdrick“, nome do protagonista de “Dragon Warrior” (no Japão ele se chama Loto). Na versão japonesa a tumba é de Link, de “The Legend of Zelda”.

9 – Restaurante

D72_9688

Desde 2010 existe no Japão um restaurante temático de “Dragon Quest”, chamado “Luida’s Bar” – lugar dentro dos games em que o jogador recruta aventureiros. Toda a decoração, vestuário, comida e bebidas são baseados em elementos da série, um prato cheio para os fãs.

10 – Mascote

Dragon-Quest-X

O Slime, um dos inimigos mais fracos criados no primeiro jogo, acabou ganhando grande popularidade e já apareceu em diversas formas nos jogos da franquia, tornando-se a mascote da série. Segundo o criador do jogo, a inspiração para o personagem veio de um inimigo gelatinoso do jogo “Wizardry“.