Share Button

Se você tem mais de 30 anos e joga videogame desde a época do Atari, considere-se um felizardo. Você faz parte de um seleto grupo que conseguiu vivenciar todo o período bom da história dos jogos eletrônicos, onde tudo era mais simples, porém, não deixava de ser bastante divertido.

Não existia internet, nem YouTube ou Facebook para que fosse possível pegar de forma fácil dicas dos jogos. A salvação era conversar com seus amigos para saber se algum deles havia conseguido matar um determinado chefe ou descobrir como passar daquela fase onde você empacou. E se mesmo isso não ajudasse, o jeito era comprar uma revista especializada como a Ação Games ou Game Power, famosas nos anos 90. E os jogos eram muito, mas muito bons, tanto que alguns deles até saem para consoles atuais de alguma forma.

Mas, e a garotada que está começando agora? Vão perder todos estes jogos clássicos que se eternizaram ao longo dos anos? A meninada que “nasceu com smartphone na mão”, o garoto com 9-10 anos que só quer saber de Call of Duty e Assassin’s Creed (conheço vários), ou aquela menina que não quer jogar mais nada além de League of Legends? Pois é gente, caso a criança não tenha um pai, mãe, parente próximo ou amigo mais velho que tenha nascido nos anos 70 ou 80, a resposta é quase sempre sim. E nem irão ligar para isso.

Abaixo seguem 10 jogos clássicos que a criançada de hoje em dia talvez nunca jogue:

10- Tetris (Gameboy)

Creio que quase todo mundo conhece, Tetris, certo? Até mesmo o pessoal mais novo. Mas infelizmente eles nunca terão a experiência do que é jogá-lo no Gameboy. O sucesso deste jogo no Gameboy foi tão grande que Tetris é considerado um dos primeiros jogos a serem “viciantes”. Jogar Tetris sentado no banco de trás do carro enquanto tentava descobrir o melhor ângulo para enxergar a tela…é criançada…a vida não era fácil.

9- Knightmare (MSX)

Se você não está na casa dos 35-40 anos, dificilmente deve ter ouvido falar deste jogo. Contudo, trata-se de um dos melhores jogos do MSX. Basicamente você controla um cavaleiro que precisa caminhar por diversos níveis e resgatar uma princesa. Knightmare contém um visual que lembra muito The Legend of Zelda (inclusive ambos foram lançados no mesmo ano) e uma jogabilidade similar dos famosos shoot’em ups de nave, pois o cenário se move sozinho enquanto o jogador atira nos inimigos. Uma verdadeira lástima a molecada perder a oportunidade de jogar este clássico.

8- Tomb Raider (PC, PlayStation, Sega Saturn)

Ah pera, lá, Tomb Raider saiu outro dia. Calma, estou me referindo ao primeiro da série, aquele onde vocês costumam ver memes comparando uma Lara quase perfeita com a outra que parece uma pintura surrealista de Pablo Picasso. Pois é desta segunda Lara que estou falando. Quem jogou na época lembra muito bem o que este jogo representou, sendo um dos responsáveis diretos pelo sucesso do PlayStation. Eram os primórdios da jogabilidade em títulos com estilo de plataforma 3D, muito diferente daquilo que existe hoje.

7- Wolfenstein 3D (MS-DOS)

O avô de todos os jogos de tiro. Wolfenstein 3D é destes clássicos que nunca morrem, mesmo apesar dos gráficos simples para os dias atuais. Um port para PS3 e X360 foi inclusive lançado em 2009 e eu zerei novamente, me divertindo mais do que com muitos shooters contemporâneos. Agora vai tentar fazer seu filho mais novo jogar isso. Wolfenstein: The New Order (que também é ótimo) ele vai adorar jogar, mas esse aí, difícil viu.

6- Enduro (Atari 2600)

O primeiro jogo de corrida que joguei na minha vida e de longe o melhor do gênero para o Atari, além de muito provavelmente o primeiro bom jogo de corrida já criado. Não se engane pelos gráficos pixelados, você está diante de um verdadeiro titã, que fazia o pessoal das antigas passar horas e horas sentado na frente da televisão jogando. E vou te falar, a situação ficava bem complicada quando aparecia a neblina.

5- Star Wars: Dark Forces (MS-DOS, Macintosh)

Trata-se do primeiro jogo de tiro baseado na franquia Star Wars. Me diverti por dezenas de horas jogando isso no computador. Era muito bom, não apenas na jogabilidade, trilha sonora e gráficos, mas também por conter uma boa história, característica principal dos episódios 4,5 e 6 que passaram no cinema muitos anos antes. E o mais legal de tudo eram as cenas animadas que contavam esta história. Passe longe, mas MUITO longe da versão PlayStation, no entanto.

4- Goldeneye 007 (Nintendo 64)

Um verdadeiro clássico que muitos conhecem apenas de nome. Para mim foi o primeiro jogo de tiro a dar certo nos consoles. A jogabilidade era ótima, pois proporcionava uma liberdade nunca antes vista em um jogo do gênero nos videogames caseiros. Os gráficos incríveis e a trilha sonora dos filmes de James Bond complementavam a experiência. O multiplayer era tão divertido que eu me via indo direto na casa do meu primo que tinha o Nintendo 64 e sempre jogávamos isso junto com alguns amigos e outros parentes. Detalhe curioso é que a equipe responsável pelo jogo nunca havia trabalhado na produção de um antes.

3- Diablo (Windows 95)

Eu lembro até hoje da experiência que foi jogar Diablo quando quase ninguém ainda nem sabia o que era isso. Uma demo rodada em um computador Pentium 100mhz com incríveis 8MB de RAM. O personagem com espada e escudo aparecendo na desconhecida cidade de Tristam. Andando até a catedral, encontrava-se um pobre infeliz moribundo na entrada do lugar, que durante seu último suspiro alertava sobre os perigos que residiam lá dentro. Ao entrar e ver um esqueleto, o ato de clicar nele com o mouse e acertá-lo com a espada me conquistou na mesma hora. E não só a mim, mas uma legião de milhões de fãs. Jogos onde você enfrentava monstros em uma masmorra já haviam sido feitos antes, mas não de uma forma tão eficaz. Quem nasceu nos dias de hoje, onde já temos Diablo III disponível, nem faz ideia da sensação que foi isso. Uma pena.

2- Teenage Mutant Ninja Turtles II: The Arcade Game (Nintendo)

Nossa, como esse jogo era bom. E difícil pra caramba também. A versão caseira deste famoso jogo das Tartarugas Ninja me fez gastar sabe-se lá quantas horas no Phantom System. Lembro da vez que finalmente alcancei o Destruidor e ele me matou com um raio que transformava a Tartaruga Ninja de volta para sua forma original. Que raiva! E não tinha continue ou checkpoint. Era fazer tudo de novo desde o início. Isso aí por si só já desanima a garotada hoje de experimentar essa obra prima dos jogos.

1-  Batman (Nintendo)

Meu top 3 no Nintendinho é formado pelos seguintes jogos: Super Mario Bros. 3, The Legend of Zelda e Batman. Poderia até incluir os dois primeiros nesta lista, inclusive. Hoje em dia a moda é jogar a série Arkham da Rocksteady, que também possui qualidade, mas o Batman lançado em 1989 baseado no famoso filme de Tim Burton onde Jack Nicholson interpreta o Coringa, também é excelente. Na minha opinião, é o melhor jogo baseado em um filme já feito. Ele lembra bastante Ninja Gaiden em alguns aspectos, mas também possui suas próprias características. Você tem várias armas disponíveis, incluindo o batrangue. Os cenários são incrivelmente bem construídos, os chefes são desafiadores e a trilha sonora é uma das melhores em 8 bits já compostas.

Com um pouco de insistência e “jeitinho”, quem sabe você consegue convencer seu amiguinho mais novo a experimentar um destes jogos, seja através do aparelho original ou então com um emulador. É capaz até dele se divertir mais do que com alguns títulos AAA lançados neste século. Agora se você já conseguiu fazer isso, meus parabéns!

E aí, quais jogos legais que te divertiram na sua infância que você acha que a criançada atual talvez nunca jogue? Poste nos comentários da página ou no Facebook a sua opinião!