Share Button

A atriz Allison Mack, que está envolvida com a seita sexual NXIVM (pronuncia-se nexium), foi acusada de mais uma tarefa dentre seus horríveis trabalhos para o grupo. De acordo com documentos judiciais obtidos pelo site RadarOnline, uma suposta ex-vítima da seita afirmou que foi levada a força pela atriz até o líder, Keith Raniere, para ser abusada sexualmente diversas vezes.

Ela nos obrigava a fazer qualquer coisa que Raniere nos pedisse“, disse a fonte, chamada de “Jane Doe 1”, que acusou a atriz de Smallville de ser quem planejava estupros e sequestros.

Em seu depoimento, a mulher também contou que foi colocada em um carro com os olhos vendados, após ter tido suas roupas arrancadas e seu corpo analisado por Raniere, e foi levada para uma casa, onde foi amarrada em uma mesa e abusada. Outra escrava sexual também foi obrigada a praticar sexo oral na vítima e ambas foram estupradas por Raniere.

Ainda segundo o depoimento da vítima, Mack enviou fotos que tirou de todas as escravas nuas e Raniere escreveu de volta: “São todas minhas?“, com um emoticon sorridente do diabo. As fotos também incluíram closes das vaginas das mulheres.

A mulher finalmente confrontou Mack, dizendo que ela estava deixando o culto sexual NXIVM, e a atriz, junto com outras escravas, então armou uma intervenção de duas horas onde a moça foi “repreendida por partir”.

Um ex-membro do culto alegou exclusivamente à publicação que Mack tinha uma obsessão doentia por escravos famintos e por ela mesma.

Aguardando julgamento

Em sua primeira audiência no tribunal, Mack alegou ser inocente das acusações e que sofreu lavagem cerebral – alegação contestada por outras recrutadas/vítimas da seita, que dizem que a atriz de 35 anos é má, cruel e a principal cúmplice desses crimes. Presa em final de abril, Mack foi solta após pagar uma fiança de US$ 5 milhões (cerca de R$ 17 milhões), valor aprovado por um juiz federal. Ela está em prisão domiciliar na casa de seus pais na Califórnia, EUA, e será monitorada com um uma tornozeleira de monitoramento eletrônico.

Até o julgamento, marcado para 1º de outubro, ela passará por outras audiências, sendo a próxima marcada para o mês de junho. Se julgada culpada em todas as acusações, Mack pode pegar uma pena de prisão perpétua. Ela está negociando um acordo de delação premiada com a procuradoria federal americana, pelo qual poderá testemunhar contra Keith Raniere, que está preso desde o mês de março sem direito a fiança.