Share Button

X-Men: Apocalipse” chega aos cinemas brasileiros em 19 de maio, mas nos EUA ele já estreou e a recepção da crítica especializada ficou dividida em relação ao filme.

No portal Rotten Tomatoes, que reúne críticas de vários sites profissionais, o longa está, até o fechamento desta publicação, com 47% de aprovação (um índice maior do que quando Batman vs Superman estreou, com cerca de 30%) das 36 críticas publicadas. Veja abaixo alguns trechos dos principais sitess:

  • “O último filme da franquia X-Men é só um X-meh (mediano)” – USA Today.
  • “X-Men Apocalipse pode fazer você sussurrar: mutantes nunca mais” – Comic Book Resources.
  • “O filme começa forte, com introduções altamente agradáveis e uma divertida ‘reunião da banda (de volta)’, mas depois se transforma em uma montagem de entorpecimento mental de combates mal coreografados e ultrajante destruição generalizada” – Collider.
  • “Bryan Singer descobre um novo pode mutante: monotonia. Para tudo o que prometia, o filme é um gemido” – The Wrap.
  • Todd McCarthy, do Hollywood Reporter, compara o filme com o recente sucesso “Capitão América: Guerra Civil” – “ambos os filmes apresentam heróis extravagantes. Mas enquanto o primeiro consegue fluir com leveza, X-Men parece um carrinho de bate-bate. Apesar de muita ação, o filme comprova a teoria de que menos é mais, ainda mais comparado com surpresa e heróis mais interessantes de outros filmes da Marvel”.
  • “Enquanto os melhores longas da franquia X-Men tinham inteligência e emoção, Apocalipse tem doses minimas dessas qualidades, abusando de efeitos visuais extravagantes que seriam possíveis 16 anos atrás” – Variety.
  • “X-Men: Apocalipse parece com uma bagunça confusa com pelo menos meia dúzia de personagens a mais do que precisa, um vilão que não impressiona em nada, e uma narrativa tão estranhamente editada que se parece com tudo, menos um filme” – Entertainment Weekly.
  • “A continuidade em X-Men: Apocalipse é ainda um pesadelo maior do que a continuidade dos quadrinhos” – ScreenCrush.
  • “Facilmente o pior filme dos X-Men já feito” – Forbes.

Porém, o filme conseguiu também algumas críticas positivas (ou pelo menos, não tão negativas):

  • “A ideia de X-Men: Apocalipse exige que tudo seja feito no volume máximo, e esse filme certamente faz isso, mesmo que haja menos espaço para a estranheza quase surreal que os X-Men podem exalar, menos interesse nos diálogos, e menos eloquência que nas aventuras dos Vingadores” – The Guardian.
  • “Mais uma vez, é o Mercúrio de Evan Peters que rouba a cena sempre que o vemos colocar em prática seus poderes, talvez porque os filmes encontraram uma maneira única de mostrá-los em tela. Há até uma divertida, embora desnecessária, subtrama envolvendo outro famoso membro dos X-Men” – New York Daily News.
  • “As aventuras dos X-Men continuam ficando cada vez maiores, mas Bryan Singer trabalha incansavelmente para garantir que, mesmo que elas não fiquem cada vez melhores, elas continuem entretendo adequadamente” – Screen International.
  • “Apesar de suas falhas, tem a audacidade de fazer o universo cinematográfico da Marvel parecer pequeno, e o universo cinematográfico da DC parecer tolo por confundir ‘se levar a sério’ com ‘seriedade’. Se ao menos a esses personagens fosse permitido serem tão complexos quanto as ideias pelas quais lutam, X-Men: Apocalipse poderia ser um novo começo para o gênero do super-herói” – IndieWire.
  • “X-Men: Apocalipse não consegue alcançar os níveis de maturidade e sofisticação de ‘Guerra Civil’, mas tem um charme confuso todo próprio, e mantém a qualidade definida pelos filmes pós- ‘O Confronto Final” – Digital Spy.