Share Button

Há alguns anos atrás, Yu-Gi-Oh! virou uma febre no Brasil, com crianças e jovens comprando cartas nas bancas e lojas para duelar com seus amigos, seja na escola, rua, em casa, qualquer local plano servia de mesa para um duelo. Essa febre que durou algum tempo se deve ao anime Yu-Gi-Oh!, que desempenhou função idêntica de Pokémon, divulgar seus respectivos jogos, uma fórmula que mostrou-se muito eficaz. Os anos passaram, a febre acabou mas Yu-Gi-Oh! continuou tendo vários fãs por mundo afora e a Konami não fechou seus olhos para eles, lançando em 2007 um bom jogo da série de cartas para Nintendo DS.

Direto ao assunto

Yu-Gi-Oh! World Championship 2007 é um jogo muito direto e claro em sua proposta, que é proporcionar aos jogadores uma experiência de travar duelos contra máquina ou amigos de modo bem parecido com o que era visto no anime; com isso em mente, esqueça um modo história ou campanhas estilo rpg de Pokémon. O foco do jogo é proporcionar duelos sem maiores enrolações e desafios diversos e nisso ele se sai muito bem.

Ao iniciar o game, o jogador passará por uma breve construção do seu personagem, escolhendo nacionalidade, nome, estilo de cabelo e rosto; algumas outras modificações estão disponíveis conforme o progresso no jogo, podendo mudar a roupa e estilo do disco de duelo, ou via download. Apesar do início bem ao estilo rpg, friso novamente que o game não possui uma história ou um modo campanha, então não se animem nesse sentido já que esse personagem que você cria serve mais para diferencia-lo de outros jogadores no modo on-line. As opções de jogo são: Free Duel, Challenge e Communications Menu, além de outras opções como opções, tutoriais, friends (lista de amigos), shop e construção de decks. Falarei um pouco mais sobre eles a seguir

Duelos

Ao entrar no modo Free Duel, aparecerá uma tela com duas abas, Monster e Ghost, sendo que na aba do monster há sub-abas marcando níveis, que obviamente representa a dificuldade dos monstros presentes nesse nível; nível 1 monstros mais fáceis, nível 2 mais difíceis, e assim por diante. Os monstrinhos que você enfrenta – sim, você enfrenta monstros e não duelistas – possuem um bom nível de desafio, com decks mais fortes conforme seus níveis e a inteligência artificial até que trabalha bem para que eles busquem sempre tomar a melhor atitude durante os duelos, ainda que não sejam muito cuidadosos com cartas armadilhas e tomem algumas atitudes agressivas em momentos que deviam estar se preocupando mais com seus pontos de vida; no geral o trabalho é razoavelmente bom. Já os Ghost, que são personagens humanos controlados pelo computador, o desafio é mais cabeludo, com esses oponentes tendo decks muito mais fortes e são bem difíceis de serem batidos.

Os duelos funcionam da maneira que a maioria já conhece, você monta um deck com no máximo 80 cartas e no mínimo 40 cartas, tem cinco espaço no campo para monstros e cinco espaços para cartas mágicas e armadilhas e ambos jogadores começam com 8000 pontos de vida, quem zerar primeiro seus pontos de vida perde; todas as diferentes fases do jogo estão presentes, o que permite que o jogo seja utilizado em campeonatos oficiais.

Com todas as regras presentes e a grande fidelidade nos efeitos de cartas mágicas, armadilhas e monstros as cartas do jogo de mesa, o diferencial desse jogo fica pela representação gráfica das cartas que são bem legais. Tirando as cartas mágicas e armadilhas que tem efeitos básicos, os monstros aparecem de forma muita parecida como acontece no anime, com suas representações em 3D na tela de cima do Nintendo DS – a tela de baixo apresenta perspectiva 2D com câmera vista de cima, já que essa perspectiva proporciona uma melhor visão tática do jogo. Todos os monstros foram modelados com fidelidade, nunca fugindo do desenho das cartas e com algumas leves adições, já que em 3D é preciso mostrar o que não é representado no desenho das cartas. É bacana perceber o cuidado da Konami em manter a integridade visual das cartas e dar a sensação de que o jogador está participando de um duelo igual ao anime, o que é bem gratificante, apesar de os monstros em 3D terem poucos quadros de animação, o que é compreensível dada à vasta quantidade de cartas presentes no game; são 1600 mais algumas disponibilizadas por download.

Outro aspecto positivo são as cartas, que além de grande quantidade possui um menu para gerenciamento e criação de decks, o que é bem útil e permite ao jogador criar diferentes tipos de decks e salva-los para utiliza-los a hora que bem entender, ou edita-los livremente; as combinações de decks são praticamente infinitas e será praticamente impossível achar um amigo na rede da Nintendo com deck igual ao seu. Para adquirir as cartas no game (você começa com um deck bem fraquinho) existem três maneiras, por download, via password e com os créditos ganhados dentro do jogo, ou seja, cada partida vencida rende diferente quantidade de créditos, que varia na quantidade ganha conforme o nível do adversário e objetivos alcançados no duelo, como não tomar danos ou não usar cartas mágicas. Dentro do menu Shop, há vários boosters, que nada mais são que um grupo de cartas de determinado tipo, cada booster traz diferentes tipos de cartas e possui valor maior ou menos conforme as cartas que traz. Como são muitas cartas já presentes no game, pode adicionar um tempo considerável para conseguir todas as 1600 cartas, ainda mais por elas virem de forma aleatória quando você compra os boosters, dificultando ainda mais a missão de coletar todas; caso você tenha se cansado ou não consegue uma carta específica, com uma rápida busca no google é possível achar o password para todas as cartas do game.

Extras

O game ainda traz alguns extras bacanas, como um tutorial explicando detalhadamente todas as regras do jogo, termos técnicos e as diferentes fases da partida – Main Phase, Draw Phase, etc. Além do tutorial, há um modo Challenge, que contém vários desafios separados por níveis e temas, falarei um pouco de cada um.

Limited Duel: possui cinco níveis e cada nível têm vários desafios. Nessa modalidade o jogador deverá jogar com decks que seguem as limitações impostas pelo desafio, como número máximo de 40 cartas, só monstros do tipo Light (luz), e assim por diante.

Theme Duel: também com cinco níveis e traz certos objetivos que precisam ser cumpridos dentro da partida além de ter de vencê-la. Esses objetivos variam como ativar 10 cartas armadilhas, fazer 10000 pontos de danos ao oponente, entre muitos outros.

Duel Pluzze: possui também cinco níveis e traz pluzzes que devem ser resolvidos pelo jogador. Nessa modalidade, cada desafio traz ao jogador uma partida com as cartas já postas na mesa e diferentes tipos de situações e o jogador deve vencer o duelo em apenas uma rodada, ativando os efeitos das cartas em uma ordem específica para vencer. É de longe uma das modalidades mais divertida e com desafios bem difíceis, que exigirão conhecimento e domínio sobre os efeitos e regras do jogo para superá-los.

Lp Survival: possui somente dois níveis e é basicamente conseguir um determinado número de vitórias consecutivas; três vitórias no nível 1 e seis vitórias no nível 2. Os adversários são escolhidos de forma aleatória e os pontos de vida do jogador são mantidos de uma partida para a outra, ou seja, se venceu um duelo com 3000 pontos de vida restantes, estes serão mantidos para o próximo duelo.

Gráficos e sons competentes

Os gráficos do jogo são competentes, com as cartas em si sendo bem fiéis ao jogo de mesa. As representações em 3D dos monstros são bem feitas no geral, com boas texturas e modelagens fiéis aos desenhos das cartas, porém alguns têm modelagens bem mais simples e é visível o tratamento diferenciado a algumas cartas, como Dragão Branco de Olhos Azuis e o Mago Negro de Yugi. Os efeitos de ataque e dano são simples, o que já era de se esperar e há de se lamentar a falta de representação em 3D das cartas mágicas e armadilhas, que em sua maioria (praticamente todas) possuem efeitos básicos, sem o mesmo charme do anime. Outro ponto negativo é a pequena taxa de quadros da animação dos monstros, que deixam eles bem superficiais em seus movimentos, mas algo compreensivo, devido à quantidade enorme de cartas presentes no game.

NDS-0940 - Yu-Gi-Oh! World Championship 2007 (U)_53_9712

Os efeitos sonoros são bons e pontuam o game todo, seja na invocação de monstros, compra de carta, etc e a trilha sonora lembram muito os rpgs japoneses tradicionais, com boas composições em ritmos variados, o que traz um pouco de nostalgia à tona nos jogadores, sendo único fator a se lamentar referente à quantidade, já que são bem poucas e se repetem bastante.