Share Button
Divulgação/BBL

Estreante na primeira etapa do Circuito Desafiante 2019, a Falkol chegou até as semifinais da competição, onde perdeu por 3 a 0 para a paiN Gaming, mais tarde campeã do torneio. O torneio não foi o primeiro disputado pela organização, que fez a sua estreia oficial durante o qualificatório para o Circuitão 2019, onde conseguiu chegar até a Série de Promoção e desbancou o Submarino Stars e garantiu a vaga no campeonato de segunda divisão do LoL brasileiro. O time também disputou a Superliga, pouco tempo depois de embarcar rumo a um período de treinamento na Coreia do Sul, mas não obteve sucesso e foi eliminado precocemente do torneio de pré-temporada.

Entretanto, tudo isso aconteceu no ano passado, quando a Falkol não contava com os seus dois reforços da temporada: o topo Álvaro “VVvert”, campeão brasileiro em 2017 pela Team oNe, e o técnico Carlos “Carioca”, campeão da última etapa do Circuito Desafiante 2018 pela Redemption.

“O balanço que eu faço depois do primeiro split é que foi uma temporada de aprendizado. Erramos bastante coisas durante o Circuitão e fomos se adaptando durante (o campeonato) para conseguir resultados diferentes. Conseguimos a vaga nos playoffs, porém ficou a lição de que se um trabalho não é bem feito com constância, a chance de você ser punido por isso no final do campeonato é alta”, analisou Carioca em entrevista exclusiva ao GameHall.

“Acredito que se eu tivesse conseguido impor mais minhas ideias durante o campeonato talvez as coisas pudessem ter sido um pouco diferentes. Como time, acredito que poderíamos ter sido mais sólidos nos nossos objetivos e como grupo, não tenho certeza se estávamos todos na mesma página durante o campeonato e isso prejudicou bastante”, completou.

Carioca e Jukaah são parceiros de comissão técnica na Falkol (Divulgação/BBL)

Mesmo que tenha caído nas semifinais, a terceira colocação na fase de grupos foi o suficiente para manter a Falkol na briga pela vaga para disputar a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) no ano que vem. Junto da Falkol, estarão na briga: RED Canids, Havan Liberty, Operation Kino, ProGaming e Vivo Keyd. Embora a edição tenha sido contemplada com mais duas equipes tradicionais do CBLoL, Carioca acredita que o segundo Split será mais tranquilo do que foi o anterior, no qual, consente ele, a paiN Gaming estava em ótima fase.

“Eu acredito que a próxima etapa vai ser relativamente mais tranquila do que a de agora. Embora ainda tenhamos organizações de grande nome na disputa, pelo que eu prospecto das alterações dos times, eu acredito que venha a ser mais tranquilo do que o de agora (1º Split), até porque a paiN estava realmente inspirada nesse campeonato”, declarou.

O Mid-Season Invitational (MSI) 2019 marca o fim da primeira temporada nas regiões e o mercado está aberto para que as equipes negociem com novos jogadores e cheguem ainda mais forte para os próximos desafios.

“Sinceramente, estamos apenas estudando o mercado no momento pra saber o que pode ser feito no nosso time de forma positiva ou o que pode não ser tão bom. Mas eu adianto uma coisa, a gente nunca entra pra brincar”, finalizou o técnico dos Blues.