Share Button

Lançado originalmente para PlayStation 3, o adventure “Beyond: Two Souls“, da produtora Quantic Dream, ganhou uma edição remasterizada para PS4 no começo de dezembro.

Além das melhorias óbvias, como texturas e definição de imagem, a nova edição de “Beyond” traz a opção de jogar a aventura em ordem cronológica, e embora pareça uma coisa simples, essa alternativa torna o game melhor.

Veja a primeira hora de “Beyond” no PS4 no vídeo acima.

Explico: No PS3, a história de Jodie é contada em pedaços que saltam de uma fase para outra da vida da mocinha. Em um estágio Jodie é uma adolescente revoltada, em outro vemos ela criança e daí saltamos para um estágio mais avançado, com Jodie morando na rua ou em uma (bizarra) guerrilha africana.

É uma idéia legal, mas executada de forma fraca e que, junto com o gameplay simples do jogo, faz de “Beyond” um título pretensioso e que não consegue envolver de verdade o jogador em sua trama.

Ao jogar “Beyond” em ordem cronológica, você acompanha a vida de Jodie na ordem que os fatos aconteceram. A evolução do personagem e o desenvolvimento da relação dela com a entidade Aidan e o pequeno círculo de pessoas com quem convive.

Livre da pretensão artística do diretor David Cage, a trama de “Beyond” mostra sua força na narrativa mais linear e consegue capturar a atenção do jogador, fazendo com que até mesmo a sua própria “interpretação” de Jodie e Aiden se tornem mais interessantes e envolventes – e dando ainda mais destaque para as ótimas atuações de Ellen Page e Willian Dafoe no game.

A remasterização de “Beyond: Two Souls” não acrescenta nada às mecânicas simplórias do jogo e nem reduz a quantidade de QTEs desnecessários do jogo, mas ressalta o que a aventura tem de melhor: sua história.