Share Button

Muitos fãs de “Resident Evil” questionam a Capcom sobre a diminuição no terror nos dois últimos jogos da série, mas para o produtor de “Resident Evil: Revelations”, Tsukasa Takenaka, os dois jogos foram, na verdade, incompreendidos pelo público.

“Há uma confusão na mensagem”, alerta o produtor em entrevista ao site Eurogamer. “Não penso que o quarto e quinto jogo não sejam assustadores, o que tentamos fazer com eles é explorar diferentes formas de horror”, explica.

Na opinião de Takenaka, essa mudança de direção no fator ‘terror’ fez com que as pessoas acreditassem que o intuito da produtora era focar mais na ação e abandonar os sustos, mas que isso não aconteceu de fato.

‘Resident Evil 4’, por exemplo, não é sobre zumbis, mas sobre os Ganados falarem como humanos e atacar com armas. Já ‘Resident Evil 5’ é mais sobre luz e trevas e alguns recursos inéditos de contraste em ambientes, coisa que finalmente conseguimos fazer com os novos hardwares”.

No entanto, o produtor garante que a Capcom ouviu aos fãs que pediam o retorno do estilo clássico e promete mudanças que poderão ser vistas já em “Revelations” do 3DS. “A Capcom sempre ouve as sugestões dos fãs, que são muito importantes”, sentencia o produtor.

Horror em 3D

Desenhado para usar e abusar do potencial gráfico do Nintendo 3DS,“Resident Evil: Revelations” dá ao jogador o controle de Jill Valentine e Chris Redfield, que mais uma vez devem detonar zumbis em ambientes que vão de um navio à clássica mansão (cenário do game original).

Sem muitos detalhes divulgados, se sabe que o enredo do jogo acontece em 2005, ou seja, a história está situada entre os eventos de “Resident Evil 4” e “Resident Evil 5”. Uma das promessas da Capcom é responder algumas perguntas dos jogadores – quais delas ainda é um mistério.

“Resident Evil: Revelations” também conta com suporte ao segundo analógico anunciado recentemente pela Nintendo, e é exclusivo para Nintendo 3DS.