Share Button

E se você fosse responsável por dar início ao apocalipse e matar milhares de pessoas? É com essa culpa que Lara Croft precisa conviver durante os eventos de ‘Shadow of Tomb Raider’, a terceira e última parte da saga que conta a origem da heroína.

Diferente da Lara sobrevivente do reboot de 2013 e da guerreira destemida de Rise of Tomb Raider de 2016, Shadow nos apresenta uma protagonista experiente, fria e focada, convicta de ser a única capaz de salvar toda a humanidade.

Cega pelos desejos de vingança, sua caçada a leva até o México na companhia de seu braço direito Jonah, para impedir que o líder da Trindade coloque as mãos em um artefato maia capaz de destruir a atual sociedade e recriá-la de uma maneira “justa e igualitária”. Ao roubar o objeto e impedir que caia nas mãos inimigas, Lara acidentalmente desperta a profecia maia do fim do mundo e desencadeia uma série de eventos catastróficos, culminando na morte de vários inocentes.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 01

Esse tom mais denso e sombrio da narrativa permitiu desconstruir a personagem, antes obcecada e agora cheia de remorso pelo seu egocentrismo, diferenciando Shadow das aventuras anteriores e preparando os jogadores para o “gran finale” do terceiro game.

Bem-vinda à selva

Após a introdução no México, Lara e Jonah seguem para o Peru em busca de outro artefato que pode impedir a destruição do planeta. Seguindo a série de catástrofes, o avião da dupla é atingido por uma tempestade e cai no meio da Floresta Amazônica, onde o jogador passará o restante da aventura.

Na queda, Lara perde seus equipamentos e precisa se reagrupar com Jonah. Essa parte serve como um tutorial para quem nunca jogou a série, ou uma recapitulação para os veteranos lembrarem os comandos e conhecerem as novas habilidades de Lara.

A jogabilidade é praticamente a mesma de Rise of Tomb Raider, mas com adições bem-vindas. Além dos já conhecidos ‘arco e flecha’ e ‘machado de escalada’, agora é possível fazer rapel para acessar novas áreas e se pendurar em lugares específicos com a corda. É legal ver que Lara não esqueceu nenhum dos truques adquiridos nos games anteriores como o impulso na parede e o salto com o machado para se pendurar em superfícies, bastando encontrar seus equipamentos perdidos (e criar outros novos) para desbravar a selva.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 02

Viva e realista, a selva peruana não esconde apenas ruínas incas e maias, mas também uma rica fauna e flora que influenciam a jogabilidade. Esconda-se na lama para pegar inimigos desprevenidos. Cace insetos e use seu veneno no combate. Colha plantas específicas e crie misturas para dar vantagens à personagem. Todo o ecossistema funciona com perfeição e ajudam a tornar Lara “uma só com a natureza”.

Em determinado ponto você enfrentará feras famintas no meio da mata fechada enquanto vários macacos gritam e balançam as árvores assistindo a batalha, o que dificulta a localização dos inimigos. A imersão no ambiente é total!

As sequências embaixo d’água também ganharam destaque em Shadow. Agora é possível explorar grandes cavernas e ruínas, colher algas, procurar baús submersos e enfrentar inimigos aquáticos graças às melhorias na jogabilidade. O visual nessas partes é impressionante, cheio de detalhes e efeitos fantásticos de iluminação e deformação da água.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 03

Mais exploração, menos combate

Em Shadow of Tomb Raider você passará muito mais tempo explorando os cenários, escapando de armadilhas e resolvendo mais quebra-cabeças do que nos games anteriores. Os combates, destaques de Rise of Tomb Raider, agora são mais escassos. Arrisco até afirmar que Shadow é o mais próximo das aventuras originais de Lara Croft desde os anos 90, com aquela sensação de descoberta recompensadora a cada puzzle superado.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 04

As tumbas e as cavernas de desafios retornaram, muito mais difíceis! Investi bastante tempo em enigmas que pensava não ter solução até reparar em algo útil no cenário que não tinha notado antes. Lembrando que o “instinto de sobrevivência” também está de volta e é crucial em diversas parte do game, principalmente se você busca os 100%.

Os combates acontecem em diversas oportunidades, mas o jogo incentiva que você os vença de maneira stealth. Para isso, Lara pode se sujar de lama para misturar-se ao ambiente ou até mesmo usar veneno para confundir os inimigos. Também é possível criar combinações herbais que aumentam os sentidos, facilitando headshots, diminuindo os barulhos feitos pela personagem e prejudicando a capacidade de detecção dos vilões. Uma nova e divertida habilidade é atirar uma flecha com corda no adversário e prendê-lo na árvore, ao estilo Batman.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 05

Mas os tiroteiros acabaram? Claro que não! O jogo tem várias cenas de ação intensas, de tirar o fôlego, principalmente depois da metade da campanha onde novos e ameaçadores inimigos são revelados. É preciso muita bala e movimentação constante para lidar com eles!

Grandes novidades de Shadow, as vilas e comunidades espalhadas pela selva peruana são partes essenciais do jogo. É possível conversar com os residentes para conhecer a cultura do povo, descobrir segredos, negociar equipamentos e ativar missões secundárias. A cidade perdida de Paititi vai exigir muitas horas de gameplay para completar todas as solicitações de seus moradores.

Ao concluir os desafios e missões secundárias, Lara ganha pontos para distribuir em sua “árvore de habilidades” nos estilos Buscadora (Seeker), Warrior (Guerreira) e Scavenger (Coletora). A Buscadora melhora os sentidos e dá bônus aos loots; a Guerreira fortalece a resistência e o uso de armas; e a Coletora auxilia na criação de itens e aprimora as habilidades stealth. É preciso planejar bem no que investir para adequar Lara ao seu estilo de jogo!

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 06

Lara, mais linda do que nunca!

Desde o reboot em 2013, Tomb Raider se tornou sinônimo de excelência técnica. Rise continua sendo um marco em qualidade, desempenho e otimização de recursos para a jogatina 4K e com Shadow não podia ser diferente. As equipes da Crystal Dynamics Eidos Montreal conseguiram superar o anterior em todos os sentidos para elevar ainda mais o nível da trilogia.

Começando pela selva, que parece viva pela quantidade de animais e vegetações diferentes (e graças aos efeitos de iluminação que parecem pintar cada folha de maneira independente), indo até as tumbas e seus detalhes impressionantes em cada uma das pedras, Shadow é de “cair o queixo”. Detalhe para os lamaçais, que se deformam com um realismo impressionante conforme a Lara se movimenta por eles, lembrando a técnica utilizada na neve de Rise of Tomb Raider.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 07

Os modelos dos personagens e animações também receberam uma camada extra de cuidado. Lara está mais realista, com feições que retratam perfeitamente sua nova personalidade séria e obstinada. O cabelo da heroína continua incrível, com fios que se mexem de maneira independente e iluminação própria reagindo ao ambiente. Cada um dos habitantes das vilas do jogo tem seu próprio visual e jeito de falar e gesticular, o que aumenta a imersão. Para ficar de “boca aberta”, ligue o Modo Fotográfico e dê um close na pele das pessoas, com pintas, machucados, rugas e manchas tal qual uma pessoa de verdade.

Considerando que a avaliação foi feita em um Xbox One S conectado a uma TV 4K com HDR ligado, o jogo impressiona, mesmo rodando a 900p. Já no PS4 normal o jogo é mais nítido, rodando a 1080p, assim como Rise. Nas máquinas mais poderosas, PS4 Pro e Xbox One X, o jogo roda a 1872p e 2016p, respectivamente, com resolução dinâmica que pode cair em cenas mais pesadas.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 08

Um bom final para a saga?

O único ponto fraco de Shadow of Tomb Raider é o seu roteiro, que poderia ser melhor aproveitado, principalmente se tratando do capítulo final da saga de origem de Lara Croft. O começo do jogo nos deixa na expectativa de ver como ela enfrentará as consequências de suas escolhas e como será moldada a partir delas, mas isso se perde no decorrer da campanha. Ainda assim, existem momentos muito emocionantes como uma memória de Lara na Mansão Croft, de tirar sorrisos até do coração mais duro.

Shadow of The Tomb Raider - Screenshot 09

O destaque fica para a relação de amizade entre Lara e Jonah, que rouba a cena e se posiciona como peça-chave para o desenvolvimento da heroína. É preciso tirar o chapéu mais uma vez para a dublagem do game (joguei em inglês) pois Lara e Jonah soam tão naturais que parecem se conhecer há muito tempo!

Vale lembrar que Shadow of Tomb Raider possui um modo de “vozes imersivas” no menu “idioma”. Ao ativá-lo, todos os NPCs falam sua línguas nativas, o que deixa o jogo ainda mais crível.

O jogo será lançado oficialmente no Brasil para PlayStation 4, Xbox One e PC no dia 14 de setembro de 2018 em 3 versões: padrão (somente o jogo), Digital Deluxe (arma e traje adicional + trilha sonora) e Croft Edition (passe de temporada + 3 armas/trajes adicionais + trilha sonora original do jogo), todas com opção de áudio e legenda em português.