Share Button

A Dragão Brasil foi uma revista que entre os anos 90 até meados de 2009 se dedicou a ser um veículo de divulgação e propagação do RPG, além de ter revelado artistas de vários segmentos, sempre trouxe um conteúdo cultural para os que acompanhavam esse periódico mensal.

Com muitas mudanças que abarcam desde a transformação de paradigma das publicações impressas, graças à popularização da Internet, passando inclusive pela queda no interesse geral em RPG de mesa, a revista acabou sendo finalizada.

Mas a mesma ferramenta que talvez tenha colocado o prego no caixão dela, talvez seja a responsável por trazê-la de volta à vida, a Internet.

Após uma brincadeira que foi crescendo, a equipe responsável pela revista criou uma edição comemorativa digital, impulsionada pelo sucesso da série Stranger Things, onde os personagens jogam RPG no porão de um deles.

Tal sucesso deu coragem e através de um projeto de financiamento coletivo, no site apoia.se, a revista consegui alcançar todas as suas metas, tendo, até o momento, conquistado o apoio de quase 2 mil pessoas e de mais de 24 mil reais, batendo não apenas sua meta inicial mas também todas as metas extras.

Hoje é o último dia para apoiar esse financiamento coletivo que se inicia com R$7 e vai até R$20.

Claro que lançar uma revista hoje em dia é algo bem diferente do que era há 20 anos, especialmente por conta de como a internet é presente na vida das pessoas e as educou em um regime de imediatismo, mas ainda assim certamente há campo para que essa empreitada dê certo.

O formato novo da revista é adequado para computadores, o que já demonstra o começo do enquadramento nas mudanças de paradigma que contribuíram para o fim da mesma, além disso ela deve contar com pelo menos 50 páginas de conteúdo, na verdade bem mais que isso.

Por ter cumprido várias das metas extras, a publicação, que será mensal e disponibilizada apenas eletronicamente, conta ainda com 4 páginas de reposta aos leitores, no formato que antigamente era feito por carta, além disso, mais 2 páginas de resenha adicional, 4 páginas de HQs e muito mais que pode ser conferido no site do financiamento.

Como alguém que cresceu envolvido com RPG em todas as suas formas, desde jogos de videogame, passando por RPG de mesa e tabuleiro e até tendo encarado os MMORPGs, fico muito feliz com esse acontecimento, especialmente por ver que um projeto desses é importante para agregar conhecimento e cultura mais uma vez para o público brasileiro.

Certamente a equipe por trás da revista terá novos desafios pela frente, além da adaptação do que já sabiam fazer tão bem a esses novos tempos, mas desde já desejo meu sucesso a eles para que consigam mais uma vez trazer a sensação de aguardar mensalmente a edição para saborear as páginas e despertem o interesse por esse hobby mais uma vez.