Share Button

Após a Epic Games elogiar e muito o método de armazenamento SSD que estará presente no PlayStation 5, o diretor do jogo Scorn, Ljubimir Peklar, disse que aquilo que realmente fará a diferença na próxima geração em comparação com a atual é a CPU de cada console.

“Todo mundo está divulgando o SSD como o próximo grande diferencial, e sim SSDs ajudarão muito no carregamento e movimentação de dados,” disse Peklar ao site MSPower User. “Mas o maior culpado na criação de problemas na geração atual é a CPU. É daí que surgirá a maior diferença em relação à geração atual.”

Scorn está atualmente sendo desenvolvido pela Ebb Studios com exclusividade para Xbox Series X nos consoles. De acordo com a empresa, é o único videogame onde o jogo poderá ser jogado em 4K e 60 fps, sem sacrificar muito a qualidade gráfica, algo inviável nos videogames atuais.

“Não quisemos [trazer Scorn para a geração atual] porque queremos que nosso jogo seja jogado em 60 fps,” disse Peklar. “Isso seria quase impossível sem grandes sacrifícios. A próxima geração é sobre a capacidade de resposta, suavidade e muito menos perda de tempo. O problema com esses recursos é que eles não são fáceis de vender em vídeos ou fotos.”

Peklar também afirmou que estão testando implementações de Ray Tracing em Scorn, mais especificamente oclusão de ambiente e sombras, mas que isso só será colocado no jogo final se não afetar a execução do jogo.

“Ray Tracing em tempo real é um ótimo recurso, e certamente é o futuro quando se trata de jogos, mas desenvolvemos tantas boas técnicas para forjar os resultados que é realmente difícil para Ray Tracing criar um impacto revolucionário,” afirmou Peklar. “Quando a tecnologia amadurecer, certamente irá facilitar o processo de desenvolvimento no que diz respeito a toda a iluminação.”

Mostrado durante o último Inside Xbox, Scorn será lançado para PC e Xbox Series X em uma data a ser anunciada.

Via VG247