Share Button

O diretor Hajime Tabata informou na Gamescom 2017 que ao contrário do que aconteceu com outros jogos da franquia, a Square Enix não fará uma sequência para Final Fantasy XV (ou seja, nada de FF XV-2) mas que continuará explorando o jogo de outras maneiras.

O motivo pela decisão de não criar uma sequência para o game é que isso abriria um longo período no qual a empresa não lançaria nada mais relacionado com o jogo, o que acabaria afastando as pessoas e fazendo com que seu apego à franquia se dissipasse um pouco.

Ao invés de trabalhar numa sequência, a equipe de Final Fantasy XV decidiu fazer conteúdos menores baseados na história. Logo após o lançamento do jogo em novembro do ano passado, a Square Enix disponibilizou episódios baseados nos companheiros de Noctis. O último deles, focado em Ignis, chega agora em dezembro.

Há de se mencionar também a expansão Comrades, que sairá em breve e adicionará um modo de multiplayer online ao jogo. Tabata falou inclusive qual o objetivo desse conteúdo adicional.

“O que estamos tentando fazer com isso é retratar aqueles 10 anos que faltam da história, logo no final da história”, disse Tabata referindo-se a um capítulo avançado no jogo principal. Em Comrades, você poderá criar seu próprio membro da Kingsglaive, o exército que protegeu e lutou pelo reino de Eos. Haverá missões tanto multiplayer quanto single player, com suas próprias histórias.

“Se tivéssemos tentado fazer isso como uma sequência tradicional de larga escala, teria sido muito difícil,” disse o diretor, “mas isso funciona realmente bem em manter esse relacionamento contínuo com os fãs.”

Tabata falou que no futuro pode ser que vejamos mais episódios saindo para Final Fantasy XV, juntamente com mais um jogo de VR, além do já confirmado Monsters of the Deep, que permitirá a você pescar usando o PlayStation VR.

O anúncio de Final Fantasy XV para PC e da Pocket Edition para mobile também indica que a Square Enix ainda tem muitos planos para o game.

Via Polygon