Share Button

Em 2016 foi lançado o livro oficial da saga Star Wars “Ahsoka”, que além de apresentar a história da personagem Ahsoka Tano (das animações The Clone Wars e Star Wars Rebels), também redefiniu o mito da cor vermelha dos sabres de luz dos Sith, os vilões da saga.

Agora a nova revista em quadrinhos Darth Vader #1 de Charkes Soule, lançada esta semana, também apresenta essa nova definição. A HQ mostra o treinamento de Darth Vader com o Imperador Palpatine, quando em certo momento o curioso aprendiz pergunta sobre os sabres vermelhos.

De acordo com Palpatine, os cristais são vermelhos porque os Sith fazem com que eles “sangrem”. Esses cristais eram na verdade cristais Kyber normais dos sabres de luz dos Jedi. Porém, para montar os seus sabres, os Sith devem matar o Jedi e roubar a sua arma e remover o cristal para usar no lado sombrio. Como os cristais possuem uma ligação muito forte com os seus donos Jedi (como mostrado em Star Wars Rebels, os cristais ‘escolhem’ o seu dono), acabam sofrendo danos e dor no processo, ganhando a coloração vermelha.

O cristal do sabre de qualquer Jedi pode fazer isso. Como você sabe, os Kybers estão vivos, de seu próprio jeito. Como qualquer coisa viva, eles sentem dor. Através do lado sombrio, você deve derramar sua dor no cristal. E quando finalmente a agonia se tornar maior do que ele pode suportar… surge um lindo carmesim. A cor do seu ódio“, diz Palpatine na HQ.

Agora a parte mais interessante dessa HQ será saber de qual Jedi Darth Vader conseguiu pegar o sabre de luz, para fazer o seu próprio Kyber vermelho.

Na antiga cronologia da saga, os Sith tinham que construir os seus próprios sabres com um cristal sintético, pois os Jedi tinham o monopólio dos cristais dos quais eles eram feitos.

O livro Ahsoka também diz que um cristal corrompido pode ser curado, mas nunca vai retomar sua cor original — tornando-se branco (ela inclusive utiliza dois sabres brancos em Star Wars Rebels).

Abaixo você confere o trecho da HQ, que vai apresentar os primeiros anos de Darth Vader ao lado de seu mestre: