Share Button

O primeiro N.O.V.A. foi  grande marco na App Store – desde os incríveis gráficos à melhor jogabilidade já vista em um FPS para iPhone -, e por muito tempo se tornou o benchmark para jogos do gênero, mesmo que a originalidade não fosse exatamente seu forte (qualquer semelhança com HALO é “mera coincidência”…).

Agora, um ano depois, a sequência simplesmente batizada de N.O.V.A. 2 promete mais de tudo. Mas será que isso é o suficiente para torná-lo mais uma vez marcante?

Seis anos se passaram após os eventos do episódio original. Agora, a humanidade enfrenta uma guerra civil. Uma nova ameaça, chamada Volterite, aparece. Kal Wardin, o herói, havia saído de N.O.V.A., mas fora obrigado a retornar após se ver no meio dos eventos no distante planeta em que estava, chamado Scorpius.

Esta nova raça rende váris novos inimigos, de monstros com poderes de invisibilidade e telecinéticos a soldados munidos de jetpacks. Graças à nova inteligência artifical, a aventura solo de N.OV.A. 2 será bem desafiante.

A jogabilidade básica fora mantida – armas de fogo, granadas e habilidades especiais, que agora somam 3 no total. Essas habilidades podem congelar inimigos, acionar câmera lenta ou ataque corporal.  Mas fique atento, porque o uso delas resulta em perda de energia. O único problema é que o ícone é bem pequeno e não serão poucas as vezes que você irá usar uma habilidade sem querer ao tentar trocar.

O panteão de armas foi aumentado graças a alguns brinquedos interessantes dos aliens, somando mais de uma dezena. Destaque para a pistola laser e as torres, ótimas para destruir aquela leva de inimigos. Algumas antigas armas foram modificadas, como a sniper que agora é recarregada a cada tiro.

Felizmente, foram mantidas as opções de customização de botões, onde você pode deixar os ícones no lugar que quiser, e o giroscópio, em que se movimenta o iPhone para mudar a câmera. Ao mesmo tempo que a mira fica bem precisa, é necessário um pouco de treino até se acostumar, pois será necessário mover seu corpo o tempo inteiro.

A jogabilidade pode não ter mudado muito, mas a Gameloft tratou de criar uma campanha bem mais empolgante, algo que a apresentação já faz questão de mostrar – ela é, sem dúvida alguma, a melhor CG já feita pela empresa. A primeira fase já começa em um ritmo alucinante, e a variação nas primeiras fases já é maior do que o primeiro N.O.V.A. inteiro. Destaque para os trechos com veículos, novidade nesta versão. Você não só vai controlar metralhadoras em jipes como também controlar motos e até enormes robôs.

Itens secretos espalhados pelas fases valem dinheiro, usado para evoluir seu personagem, comprando desde espaço para mais munição como melhora de status. Alguns itens são bem caros e, por isso, será bem difícil comprar todos, um desafio a mais e um incentivo para explorar os cenários.

O equilíbrio da campanha, porém, poderia ser melhor, já que algumas das fases finais são extremamente repetidas e formadas apenas de corredores e inimigos, tornando a experiência cansativa e medíocre. Felizmente, isso corresponde a uma pequena parte do jogo.

O componente multiplayer funcionou muito bem em N.O.V.A. 1, mas algumas lições foram aprendidas com seu irmão Modern Combat 2: Black Pegasus. A modalidade agora aceita até 10 jogadores online e offline, um número certamente muito mais atraente contra os 4 de antigamente. Alguns mapas são novos, enquanto outros vieram do primeiro jogo, mas devidamente atualizados para os novos gráficos. São 5 modos no total, todos já conhecidos para quem costuma jogar FPS, como matança e pega bandeira. O bacana é que à medida que você pontua seu personagem evolui, habilitando novas armas. Há também várias opções de skins diferentes, inclusive uma bônus para quem comprou o primeiro jogo.

Entrando na parte visual, N.O.V.A. 2 é certamente um dos jogos mais bonitos da atualidade para iPhone e iPad. Os cenários são bem variados e com texturas incríveis – espere só até ver a água. Os efeitos de luz e fumaça também impressionam. A trilha sonora também ficou excelente e até as dublagens ficaram aceitáveis, algo que sempre cito como ponto fraco da Gameloft. Se preferir, ainda pode metralhar alguns aliens com as músicas de seu iPod.

Também vale ressaltar o fato de estar totalmente em português, a exemplo de Eternal Legacy, uma mão na roda para quem tem dificuldade com outros idiomas.