Share Button

O tempo voa e já estamos quase no fim de 2018, ano que contou com o enorme sucesso de “Vingadores: Guerra Infinita“, que gerou uma bilheteria recorde de mais de US$ 2 bilhões no mundo todo – confira aqui o Top 10 dos maiores sucessos de bilheteria de 2018!

Outros filmes que se destacaram foram “Pantera Negra” e “Jurassic World: Reino Ameaçado”, fechando assim os três primeiros lugares do ranking dos longa-metragens mais populares de 2018.

Mas assim como temos os vencedores, também temos aquelas produções que prometiam quebrar recordes de bilheteria e acabaram fracassando epicamente.

Abaixo você confere 10 produções que floparam bonito nas telonas em 2018:

*Vale lembrar que além dos valores de produção, também há o valor de marketing e divulgação, nem sempre revelados pelos estúdios. Como metade da bilheteria fica com as salas de cinemas, um filme para começar a lucrar tem que, no mínimo, arrecadar mais da metade do seu valor de orçamento e marketing.

1 – Solo: Uma História Star Wars

O Episódio VIII dividiu opiniões e ficou longe de alcançar o sucesso de “O Despertar da Força”, mas pelo menos conseguiu chegar na casa de US$ 1 bilhão – assim como Rogue One em 2016.

A expectativa com o filme de um jovem Han Solo era também chegar ao menos na casa do bilhão, mas para surpresa da Disney/Lucasfilm, a Millenium Falcon sofreu para alcançar os US$ 392 milhões arrecadados MUNDIALMENTE.

Com um gordo orçamento na casa dos US$ 275 milhões, o filme precisava, no mínimo, chegar no valor de US$ 550 milhões para começar a gerar algum lucro para o estúdio.

Curiosamente, o filme até conseguiu boas avaliações pelos críticos (tem 70% de aprovação no Rotten Tomatoes), mas não agradou o público, que em sua maioria concorda em dizer que é “um filme desnecessário”.

Com esse valor, o filme tem o recorde nada lisonjeiro de “maior fracasso da franquia Star Wars” (e provavelmente de 2018), atrás de “O Retorno de Jedi” que arrecadou US$ 475 milhões em 1983 – e desta vez nem a China salvou com apenas US$ 16 milhões somados.

2 – Tomb Raider: A Origem

Trazendo a atriz Alicia Vikander como a nova Lara Croft, o filme é uma adaptação mais fiel aos novos games da heroína do que os antigos estrelados por Angelina Jolie.

Com um orçamento de US$ 100 milhões, o filme fechou a bilheteria com pouco mais de US$ 273 milhões, valor bem abaixo do esperado pela Warner Bros, que tinha expectativa de receber ao menos o dobro desse valor.

Para piorar, o valor se equipara ao primeiro Tomb Raider estrelado por Jolie em 2001, que somou US$ 274 milhões na época – o segundo, Tomb Raider: A Origem da Vida foi o pior de todos, com apenas US$ 156 milhões.

A China salvou de ser um fiasco completo, com quase US$ 80 milhões arrecadados – maior mercado que o filme conquistou, incluindo os EUA, que somou apenas US$ 57 milhões.

É, não foi dessa vez Alicia!

3 – Círculo de Fogo: A Revolta

O primeiro filme lançado em 2013 e que contou com direção de Guillermo del Toro não chegou a ser um sucesso de bilheteria principalmente por seu altíssimo orçamento de US$ 190 milhões e uma receita de pouco mais de US$ 400 milhões – com uma grande ajuda da China que colaborou com mais de US$ 100 milhões. Mesmo assim o filme conquistou boa parte dos críticos e fãs do gênero.

Infelizmente o segundo filme não teve a mesma boa recepção, que trocou a direção por Steven S. DeKnight (Del Toro continuou como produtor) e um novo elenco. Com um orçamento milionário de US$ 150 milhões, o filme gerou prejuízo para a Universal ao arrecadar apenas US$ 290 milhões, valor bem abaixo do original – e novamente a China salvou de ser um fiasco total, com uma quantia de US$ 100 milhões.

Além disso “A Revolta” foi detonado por grande parte da crítica especializada e pelos fãs do filme original, que o classificaram como um “filme bobo”.

4 – Robin Hood: A Origem

O novo filme baseado na famosa lenda sobre o ladrão que rouba dos ricos para dar aos pobres estreou nos cinemas em novembro e ainda está em cartaz, mas seu fracasso é inevitável.

Com uma produção no valor de US$ 100 milhões, o filme arrecadou até o momento apenas US$ 73 milhões e dificilmente deve chegar na casa dos três dígitos, gerando um baita prejuízo para o seu estúdio e produtores.

Massacrado pela crítica (tem apenas 15% de aprovação no RottenTomatoes), o filme é estrelado por Taron Egerton, Jamie Foxx, Ben Mendelsohn e Eve Hewson.

Um filme que ninguém vai lembrar que existiu.

5 – O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos

Além de Han Solo, a Disney ainda teve outro grande prejuízo em 2018 com o filme de fantasia “O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos”, que somou R$ 161 milhões, valor que ainda não paga o seu gordo orçamento de US$ 120 milhões.

Apesar de ter o visual e estética bastante elogiado, o filme estrelado por Mackenzie Foy, Jayden Fowora-Knight, Keira Knightley e Helen Mirren, foi bastante criticado pelo roteiro e personagens fracos e superficiais, não muito relevante para o cenário do mundo atual.

Apesar de ter agrado algumas pessoas, a maioria o achou decepcionante, cansativo e enfadonho.

6 – O Predador

O novo filme do alien caçador Predador teve um custo de US$ 88 milhões e arrecadou mundo afora US$ 160 milhões, quase conseguindo se pagar.

O filme teve uma recepção mediana, com seus altos e baixos, sendo que a parte de humor excessivo foi a mais criticada, além de possuir um roteiro muito genérico.

Para quem esperava um filme aos moldes dos dois primeiros, provavelmente vai se decepcionar.

7 – Millennium: A Garota na Teia de Aranha

O novo filme baseado na popular série de livros Millennium e que adaptou “A Garota na Teia de Aranha” não agradou os fãs e o público em geral, somando apenas US$ 34 milhões, com um orçamento de US$ 43 milhões.

A série já contava com quatro adaptações cinematográficas, sendo três de produção sueca (assim como o autor original Stieg Larsson)  bem elogiados e com a atriz Noomi Rapace. Já a outra é de produção hollywoodiana dirigida por David Fincher de 2011, com “The Girl with the Dragon Tattoo” e Rooney Mara na papel principal.

“A Garota na Teia de Aranha” traz uma nova direção e elenco, o que já não agradou muito gente, e serve como um a sequência e reboot do filme de Fincher.

Estrelado por Claire Foy, o filme foi bastante criticado por seguir uma fórmula clichê de filmes de ação como “Missão Impossível”, mas que não vai empolgar os fãs da franquia e muito menos quem não conhece a série.

8 – Desejo de Matar

A franquia “Desejo de Matar” foi imortalizada por Charles Bronson durante os anos 70 e 80 e contou com um remake lançado este ano e estrelado por Bruce Willis.

O filme até recebeu críticas boas pelas cenas de ação como nos “bons e velhos tempos”, que entretém de forma descompromissada e passageira. No entanto, com um orçamento de apenas US$ 30 milhões, arrecadou US$ 34 milhões, não conseguindo se pagar.

Apesar da boa recepção, o filme não conquistou público, provavelmente porque o Willis de 63 anos de idade já não possui o apelo de outrora, especialmente com os jovens, e a história do vigilante que faz justiça com as próprias mãos “sem muita frescura” agrada mais os mais velhos e quem lembra dos antigos filmes de ação de antigamente, especialmente os do brucutu Charles Bronson .

9 – Operação Red Sparrow

Jennifer Lawrence ganhou o estrelato com a série Jogos Vorazes e depois disso fez vários filmes de excelente qualidade, provando que ela é uma grande e versátil atriz. Mas parece que os últimos anos não têm sido muito bons para ela, que vem acumulando um fracasso atrás do outro.

Depois de “X-Men: Apocalipse” e “Passageiros”, ambos de 2016, e “Mãe!” de 2017, este ano foi “Operação Red Sparrow” que continua a maré de azar da bela – ao menos em termos de bilheteria.

O thriller de espionagem que prometia seguir o sucesso de “Atômica” com Charlize Theron, até chegou a receber boas críticas, mas dividiu a opinião do público, sendo que uma parte gostou bastante, enquanto a outra o achou com um roteiro fraco, confuso e devagar ao ponto de dar sono em seus espectadores.

Mas independente das opiniões, o filme arrecadou US$ 151 milhões, um valor baixo para os US$ 69 investidos, mas conseguindo se pagar.

10 – Crimes em Happytime

O filme estrelado por Melissa McCarthy foi um dos mais execrados pela crítica especializada neste ano.

A comédia é uma espécie de paródia dos Muppets, incluindo o uso de fantoches, como detetives e recheada de piadas impróprias para menores.

O filme contou com um orçamento de US$ 40 milhões e arrecadou apenas US$ 27 milhões, um valor bem longe de compensar o seu investimento.

Outro filme que ninguém vai lembrar que existiu, finalizando assim o nosso Top 10.