Tops

5 jogos mobile com histórias envolventes

Capaz de você ficar viciado na tela do seu smartphone!

E quem disse que os jogos para mobile não podem ter boas histórias? Pois selecionamos cinco games com narrativas fora de série.

5 – Agent A: A Puzzle In Disguise

Desenvolvido pela australiana Yak & Co, este é um jogo de enigmas com uma história muito intrigante e bastante envolvente. Você é um agente secreto de codinome A que deve procurar a vilã Ruby La Rouge, uma experiente mercenária com um passado misterioso, e a missão é invadir a residência dela para impedir seus planos.

Mesmo com uma premissa bem simplória, ao estilo “Onde está Carmen San Diego”, o modo em que o enredo se desenvolve é bastante surpreendente, “fluindo” muito bem e passando aquele sentimento de “e aí?! O que será que vai acontecer”. Some isso aos ótimos visuais e trilha sonora marcante, e temos um ótimo jogo. Se não é nota 10, é próximo disso. Disponível para iOS e Android.

4 – Father and Son

Histórias que exploram relações familiares sempre gera um pouco mais de empatia do jogador, afinal, já que a maioria de nós têm uma família e, mesmo que alguém seja “sozinho no mundo”, provavelmente fará uma um dia.

Father and Son, como o nome sugere, retrata a história de um filho que nunca conheceu seu pai e que está em sua busca. O jogo é curtíssimo, dando pra finalizar em menos de uma hora, mas é gratuito também e é capaz de sair algumas lágrimas em seu desfecho. Disponível para Android e iOS.

3 – Gemini Rue

Apostando no clássico aponte e clique (nesse caso seria só “aponte”, já que estamos em um touch screen), o Gemini Rue te coloca na pele de Azriel, um ex-assassino que agora resolveu deixar seu passado para trás e virou policial para procurar seu irmão. No entanto, a própria polícia não é muito bem vista pelas pessoas deste mundo, já que é uma instituição sem muita credibilidade.

Assim como o Agent A, a premissa simplória vista em várias histórias do gênero é a “base” para um enredo bastante envolvente, com um final bastante inacreditável. Fora que é bem nostálgico para aqueles que estão na casa dos 30-40 anos, pois o game aposta no estilo gráficos dos aponte e cliques dos anos 90 (lembra de The Dig?) e uma boa trilha sonora. O único ponto ruim é que não há uma tradução oficial para o português. Disponível para iOS.

2 – To The Moon

Feito no RPG Maker e ganhando projeção mundial por sua história sensível, este é considerado um dos games mais tristes de todos os tempos (sem exagerar), com um final que muitos chegam a “soluçar”. To The Moon conta a história dos doutores Rosalene e Watts, que conseguem “invadir” a mente dos pacientes graças a tecnologia, para que eles ganhem uma nova vida dentro do seu imaginário, como se pudessem viver coisas que não viveram.

Como invadir e reconstruir memórias é algo muito sério, os doutores só podem fazê-lo em pacientes que estão em estado terminal, sendo uma oportunidade da pessoa realizar seus sonhos que, por alguma razão, a vida não deu. Nesse contexto, os dois doutores precisam invadir a mente de Johnny, um homem idoso que tinha o sonho de ir a lua. Previsível? Um pouco. Feito para chorar? Também, abusando de músicas tristes como muitos com histórias semelhantes. Mesmo assim, é uma ótima experiência. Disponível para Android e iOS.

1 – 7 days

Este é uma visual novel onde os jogadores devem escolher o que acontece, influenciando diretamente na história e evidentemente o desfecho. A protagonista é Carol, uma menina que perdeu a memória e está em uma sala misteriosa, e esta recebe a informação de que ela morreu, mas terá  sete dias para completar uma missão para voltar a vida e, para essa missão, ela conta com a ajuda de uma bússola que só funciona quando uma outra alma perdida está perto dela. O ponto que fica é: ela poderá viver se aproveitando da morte dos outros, mas será que vale a pena? Disponível para Android e iOS.

Artigos relacionados