História do Videogame

História dos Games | Jogos de tiro em primeira pessoa (FPS) existem desde os anos de 1970

Mas como conhecemos hoje, foi na década de 1990

Muito popular nos dias de hoje, o FPS, ou “jogo de tiro em primeira pessoa”, onde vemos uma arma e a câmera é como se fosse “os olhos” do personagem se originam no ano de 1973 com o título “Maze War“, desenvolvido por três estudantes do ensino médio: Greg Thompson, Steve Colley e Howard Palmer, em um projeto encomendado pela NASA para ajudar a visualizar fluidos dinâmicos em espaçonaves.

O trabalho acabou evoluindo para um jogo em primeira pessoa e, mais tarde, incluíram um segundo jogador para que ambos disputassem em quem atirava primeiro para vencer o jogo. Thompson pegou o código do game e levou para o Massachusetts Institute of Technology para evoluir o projeto e ser jogado no computador ARPANET, com suporte a até oito jogadores, mapas customizáveis, ranking online e modo espectador.

Em 1974, foi apresentado na Universidade de Illinois o game “Spasism“, que era um simulador de voo rudimentar para computadores que permitia até 32 jogadores simultâneos.

A partir de ambos vieram vários outros jogos dando sua contribuição para o gênero de primeira pessoa, com destaque para “MIDI Maze” em 1987 lançado para o Atari ST, que era uma espécie de PAC-MAN em primeira pessoa onde o jogador tinha que atirar nos fantasmas.

Já o primeiro game como conhecemos hoje como FPS foi Wolfenstein 3D lançado em 1992 pela iD Software para computadores, sendo uma continuação do já bem sucedido Castle Wolfenstein e Beyond Castle Wolfenstein. Apesar do nome “3D”, ele não utilizava gráficos poligonais e, portanto, não era 3D “de verdade”.

Se tornando instantaneamente um sucesso e lembrado por muitos que estão na casa dos 40 anos, foi o primeiro a ter uma arma aparecendo na frente e também pioneiro em apostar na violência, ditando os moldes de como são os games do gênero até hoje. Devido a sua enorme popularidade, alguns clones surgiram sendo praticamente o mesmo jogo com outros nomes, como o caso de The Terminator: Rampage e Ken´s Labyrinth.

No ano seguinte, a própria iD Software lançou Doom, refinando o template de Wolfenstein 3D, com gráficos melhores e todos os pontos do game anterior “turbinados”. Nele havia efeitos de iluminação rudimentares, e o conceito de multiplayer que, segundo o criador John Romero, foi inspirado nos jogos de luta na época. Esses deathmatches se tornaram padrões no jogo do gênero e vemos até hoje.

Considerado até hoje o jogo em primeira pessoa mais importante já feito, Doom não influenciou só o gênero, mas também os videogames em geral. O já citado modo multiplayer foi feito de modo bem sucedido e em larga escala com o Doom, além do alto nível de violência, humor negro, e deboche também.

Já o primeiro game a ser oficialmente em 3D foi outro muito famoso: Quake, que “bebia” muito da fórmula de Doom, mas tinha gráficos poligonais.

De lá pra cá houve vários jogos dando suas contribuições para o gênero, mas durante tempos eles eram típicos dos computadores, com uma ou outra exceção para os consoles (como GoldenEye 007 para o N64, por exemplo). Foi em 2007, com a consolidação do modo online nos videogames e com a popularidade da série Halo e Bioshock que os jogos de FPS chegaram aos consoles.

Artigos relacionados